Jorge Henrique pode ajudar a equilibrar o ataque do Vasco



Jorge Henrique disputou a última Libertadores pelo Internacional (Foto: Claudio Reyes/AFP)

Jorge Henrique disputou a última Libertadores pelo Internacional (Foto: Claudio Reyes/AFP)

Nos últimos anos, Jorge Henrique tem se destacado por sua polivalência em campo. Durante toda a sua carreira foi utilizado em diversas posições, chegando a desempenhar até o papel de lateral-direito sob o comando de Dunga no Internacional. Porém, suas últimas atuações pelo Colorado mostram um posicionamento bem diferente, e que se encaixa nas necessidades atuais da equipe de Celso Roth.

Nos cinco jogos que disputou neste Brasileirão, Jorge Henrique atuou pela esquerda, fazendo jogadas de linha de fundo e acompanhando o lateral adversário até o fim. Em alguns momentos chegava a trocar de posição com Geferson, dando mais liberdade ao camisa 6 para se movimentar pelo meio.

Em seu último jogo pelo Inter, contra o Atlético-MG, lance que mostra Jorge Henrique  acompanhando o lateral Carlos César até a defesa

Em seu último jogo pelo Inter, contra o Atlético-MG, lance que mostra Jorge Henrique acompanhando o lateral Carlos César do campo de ataque até a defesa

Apesar de inverter muitas vezes com D’Alessandro, caindo pela direita, era na esquerda que o jogador passava a maior parte do tempo – como mostra seu mapa de calor abaixo. E este é exatamente o lado ofensivo mais frágil do Vasco. Com Madson sendo bastante explorado pela direita, poucas jogadas de ataque são criadas no lado oposto, onde Christianno basicamente se limita a marcar. Jorge, ao lado de Nenê, pode mudar esse panorama, equilibrando as ações e variando as jogadas.

Mapa de calor de Jorge Henrique nos jogos pelo Inter no Brasileiro (Foto: Footstats)

Mapa de calor de Jorge Henrique nos jogos pelo Inter no Brasileiro (Foto: Footstats)

Desde que chegou ao clube, Roth já testou uma série de jogadores nesta posição. Riascos, Júlio César, Biancucchi, Dagoberto, Jhon Cley e até Herrera já desempenharam este papel, completando a linha de quatro no meio-campo.

Nas últimas partidas, Jhon Cley é quem tem feito esta função, mas não o tempo todo. Apesar de começar na esquerda, o meia tem alternado de posição com Herrera e Riascos, possivelmente para não se desgastar fisicamente, já que precisa ir e voltar.

Mapa de calor mostra Jhon Cley variando de lado durante os jogos (Foto: Footstats)

Mapa de calor mostra Jhon Cley variando de lado durante os jogos (Foto: Footstats)

Individualmente, apesar do início ruim do Internacional no Brasileiro, Jorge Henrique também conseguiu se destacar em alguns fundamentos específicos. Mesmo tendo feito somente cinco partidas no Brasileiro, é o 4º jogador do time gaúcho que mais cruzamentos certos deu na competição, com quatro, empatado com Anderson e Nilmar. Sinal que as jogadas pelas pontas vinham sendo concluídas e não apenas iniciadas.

E para chegar ao fundo, uma das principais armas utilizadas é o drible, com o atacante aparecendo no ‘TOP 5’ da equipe colorada, com três dribles certos. No Vasco, por exemplo, Riascos, Rafael Silva, Gilberto e Madson são os líderes neste quesito, com seis em todo o campeonato.

Mesmo com poucas partidas disputadas Jorge Henrique figura entre os primeiros em algumas estatísticas do Inter (Foto: Footstats)

Mesmo com poucas partidas disputadas Jorge Henrique figura entre os primeiros em algumas estatísticas do Inter (Foto: Footstats)

A chegada de Jorge Henrique dará uma nova cara ao ataque vascaíno, que deverá atuar de forma mais verticalizada, com menos trocas de passes e mais movimentação. Mas, principalmente, dará opção pela esquerda, algo que não vem ocorrendo no Vasco atualmente.

Dos oito gols marcados pelo Cruz-Maltino nesse Brasileirão, três nasceram em jogadas de bola parada – faltas, pênaltis ou escanteios -, três pela direita, um pelo meio e outro pela esquerda. Números que mostram o quão desequilibrado está o setor ofensivo do time e o quanto poderá mudar com a chegada do novo reforço.

Aproveitamento de Jorge Henrique nos passes (Foto: Footstats)

Aproveitamento de Jorge Henrique nos passes (Foto: Footstats)



MaisRecentes

Falta de dinheiro ou má gestão? Vasco contratou dois times apenas em 2018



Continue Lendo

A importância de Maxi López no Vasco



Continue Lendo

Ríos diminui diferença para Yago Pikachu no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo