Jordi e o tabu que já dura 15 anos



Jordi fará sua estreia na Série A (Foto: Marcelo Sadio/Vasco.com.br)

Jordi fará sua estreia na Série A (Foto: Marcelo Sadio/Vasco.com.br)

‘Toda grande equipe começa por um grande goleiro’. Qualquer pessoa que acompanha futebol, ainda que de vez em quando, em algum momento já se deparou com esta frase. E é verdade. A segurança defensiva de uma equipe muitas das vezes passa pela capacidade em operar milagres de seu camisa 1.

Historicamente,  a posição é também aquela onde os jogadores permanecem por mais tempo em um clube. Rogério Ceni, no São Paulo, e Fábio, no Cruzeiro, são exemplos disso. Não é uma função que permita um rodízio muito grande. E o que os dois possuem em comum? Ambos chegaram aos clubes ainda nas divisões de base – o cruzeirense se transferiu aos 20 anos para o Vasco e retornou quatro anos depois.

Em São Januário, após Carlos Germano reinar durante a década de 90, Hélton o substituiu. Duas crias da casa. O atual arqueiro do Porto estreou pelo clube na Mercosul de 99, mas fez sua primeira partida de Campeonato Brasileiro apenas em 2000. De lá pra cá, nenhum outro goleiro criado nas divisões de base do Cruz-Maltino foi titular em uma partida de Série A.

Hélton assumiu a titularidade em 2000 (Foto: Arquivo LANCE!)

Hélton assumiu a titularidade em 2000 (Foto: Arquivo LANCE!)

Passaram-se 15 anos – e 16 goleiros – até que Jordi, o substituto de Martín Silva nesta quarta-feira, contra a Ponte Preta, finalmente colocasse fim a este tabu. Assim como Hélton, em 2000, entra com a responsabilidade de substituir um profissional de seleção. Ainda não é para ganhar a posição, mas já se prepara para o futuro.

GOLEIROS DO VASCO PÓS-HÉLTON *
*Que chegaram a jogar pela equipe profissional

– Fábio – veio do Cruzeiro
– Cássio – veio do Olaria
– Tadic – veio do Londrina
– Éverton – veio do Volta Redonda
– Fabiano Borges – veio do Criciúma
– Elinton – veio do Bangu
– Erivélton – veio do Americano
– Roberto – veio do Criciúma
– Sílvio Luiz – veio do São Caetano
– Tiago – veio da Portuguesa
– Rafael – veio do Itumbiara-GO
– Fernando Prass – veio do União Leiria-POR
– Alessandro – veio do Grêmio
– Diogo Silva – veio do Nova Iguaçu
– Michel Alves – veio do Criciúma
– Martín Silva – veio do Olímpia-PAR



MaisRecentes

Ríos diminui vantagem de Pikachu no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Ríos se torna o 2º estrangeiro com mais gols pelo Vasco na história do Brasileiro



Continue Lendo

As duas faces de um empate



Continue Lendo