Hoje no Marítimo, Bruno Gallo revela desejo de voltar ao Vasco e elogia retorno de Eurico



Bruno Gallo nos tempos de Vasco (Foto: Divulgação)

Bruno Gallo nos tempos de Vasco (Foto: Divulgação)

Durante quase uma década, Bruno Gallo viveu dentro do Vasco. Por nove anos o jogador foi lapidado nas categorias de base do clube, onde foi capitão e camisa 10 por quase todo o período.

Porém, ao subir para os profissionais, Bruno acabou tendo poucas oportunidades, sendo improvisado na lateral-esquerda na maioria das vezes. No total, foram apenas 13 partidas com a camisa vascaína e nenhum gol marcado.

Mais maduro, aos 26 anos de idade, Gallo atualmente defende o Marítimo, de Portugal, pela segunda temporada seguida. Com seis gols no ano, o meia é um dos artilheiros da equipe.

E o apoiador conversou com o Blog do Garone sobre o seu atual momento e sua relação com o Vasco.

1 – No início do ano, você marcou o gol da surpreendente vitória do Marítimo sobre o Porto. Como você vê esse seu atual momento na carreira e a importância desse gol?

R: Acredito estar num momento de muito amadurecimento na minha carreira. Me sinto preparado fisicamente e emocionalmente, pois venho atuando de forma positiva para a equipe. Esse gol contra o Porto foi fundamental, o time vinha com dificuldades e precisava dessa vitória para recuperar e confiança.

2 – A que você atribuiu esta fase de artilheiro que tem vivido?

R: Atribuo isso a minha seriedade, dedicação e disciplina nos treinamentos. Muitos pensam que vida de jogador é fácil, mas é preciso entrega, foco e muita disciplina para conseguir um equilíbrio físico e emocional. Não é fácil, mas é muito gratificante quando alcançamos os nossos objetivos.

Bruno Gallo em sua apresentação ao Marítimo (Foto: Divulgação)

Bruno Gallo em sua apresentação ao Marítimo (Foto: Divulgação)

3 – Você passou muitos anos no Vasco. Ainda costuma acompanhar os resultados da equipe aí de Portugal? Pensa em um dia voltar ao Brasil, à São Januário?

R: Nunca deixei de acompanhar o Vasco, Foi o clube que me abriu as portas para o futebol e que me fez crescer como pessoa. Cheguei com 11 anos e sai com 20, formado. Tive poucas oportunidades de mostrar meu trabalho como profissional e pretendo sim um dia voltar a vestir a camisa do clube que tanto me incentivou, apoiou e me preparou.

4 – Sua experiência no Vasco foi exatamente durante os primeiros mandatos de Eurico Miranda. Como era o seu relacionamento com ele?

R: O Eurico sempre foi o melhor presidente para o Vasco. Ele vivia para o clube, acreditava e incentivava as categorias de base. Nos dava estrutura, não só como atleta. Existia uma escola particular dentro do Vasco para atender os garotos da base, sem custo algum. Assim, treinávamos, almoçávamos e estudávamos dentro do clube. Chegávamos às 7h e saíamos às 18h. Agradeço muito por essa oportunidade, porque era muito difícil, muito dependiam de transporte público e não dava para conciliar os estudos. Infelizmente isso tudo acabou com a saída de Eurico.

5 – Você acha que isso, seu histórico no Vasco e bom relacionamento com a diretoria, poderia facilitar um possível retorno ao clube?

R: Acredito sim que eu possa retornar à São Januário e que seria bem recebido por todos. Sou cria da casa e eles conhecem o meu potencial, pois me valorizaram por nove anos. Acredito não ter sido à toa.

FACEBOOK – https://www.facebook.com/BlogDoGarone
TWITTER – https://twitter.com/BlogDoGarone



MaisRecentes

Ríos diminui vantagem de Pikachu no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Ríos se torna o 2º estrangeiro com mais gols pelo Vasco na história do Brasileiro



Continue Lendo

As duas faces de um empate



Continue Lendo