Há 20 anos, Cobi Jones estreava pelo Vasco



Cobi Jones atuou por mais de uma década na seleção dos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

Cobi Jones atuou por mais de uma década pela seleção dos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

A seleção norte-americana de 1994 pode ser considerada um divisor de águas no futebol dos Estados Unidos. Naquele ano, o país sediou a Copa do Mundo e, de quebra, fez um jogo duríssimo contra o Brasil nas oitavas de final. O ‘soccer’ jamais seria o mesmo após Lalas, Tony Meola, Balboa e cia.

Na lateral-direita da Seleção Brasileira, o atual técnico vascaíno, Jorginho. Alternando de lado nas pontas do ‘Team USA’, Cobi Jones, o único cabeludo que não fazia parte da zaga americana. Duelo que poderia ter se repetido em gramados nacionais, se o camisa 2 tivesse voltado antes de sua passagem pelo Japão, onde defendeu o Kashima Antlers (retornou ao Brasil em 99 para jogar pelo São Paulo).

Jones estava longe de ser o craque daquele time – Erick Wynalda era o grande nome ofensivo daquela seleção -, mas ainda assim despertou o interesse do Vasco após o mundial. Mesmo não sendo o destaque, é até hoje o atleta que mais vezes vestiu a camisa da seleção de seu país, com 164 partidas.

Cobi jogou no Coventry City antes de ir para o Vasco (Foto::Action Images/Tony Henshaw)

Cobi jogou no Coventry City antes de ir para o Vasco (Foto::Action Images/Tony Henshaw)

Primeiro americano – que se tem registro – a vestir a camisa cruz-maltina, Cobi Jones chegou ao clube no 2º semestre de 95, teoricamente para a disputa do Campeonato Brasileiro, após atuar por duas temporadas pelo Coventry City, da Inglaterra. Teoricamente. Isso porque o meia-atacante não disputou nenhum jogo na campanha vascaína no Brasileirão daquele ano. Buscando se adaptar ao futebol local, Cobi fez parte apenas do Expressinho, que disputou a Copa Rio paralelamente a competição principal.

Sua estreia, assim como toda a sua passagem – à exceção de sua chegada -, foi discreta. No modesto campo do Estádio Eustáquio Marques, em Curicica, no Rio de Janeiro, onde o extinto Internacional de Jacarepaguá costumava mandar os seus jogos na época, Cobi Jones atuou pela primeira vez como profissional do Club de Regatas Vasco da Gama.

Cobi Jones em treino do Vasco, em São Januário (Foto: Carlos Ivan/Ag. Globo)

Cobi Jones em treino do Vasco (Foto: Carlos Ivan/Ag. Globo)

O adversário daquela tarde foi o Campo Grande, e o Cruz-Maltino deixou o gramado com uma vitória por 2 a 1, gols de Richardson e Pedro Renato, ambos crias da base vascaína. Cobi entrou no segundo tempo, no lugar do autor do primeiro tento, e disputou os primeiros dos poucos minutos em que teve a oportunidade de vestir a camisa preta e branca com faixa diagonal.

Cobi Jones jogaria ainda mais três jogos pelo Gigante da Colina – dois contra o Botafogo e um contra o Olaria -, encerrando seu ciclo em São Januário com duas vitórias, um empate, uma derrota e nenhum gol marcado.

ESTREIA DE COBI JONES PELO VASCO

Vasco Da Gama 2 x 1 Campo Grande (RJ)
Data: 21/10/1995
Copa Rio
Local : Estádio Eustáquio Marques (Rio de Janeiro – RJ)
Arbitro : José Roberto Ezequiel
Público : Não Informado
Gols do Vasco : Richardson (Vasco 14/1ºT) e Pedro Renato (Vasco 42/1ºT)
Gols do Campo Grande: Não há informação

Vasco – Márcio, Fausto, Valkmar, Leonardo Siqueira, Jefferson, Cristiano, Richardson (Cobi Jones),Geovani (Genílson),Yan,Robinho e Pedro Renato (Igor) Técnico : Alcir Portella

Campo Grande – Não há informações



  • fabio

    será que ele lembra desse time 3 x serie b em oito anos kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • ODILON SILVA = RJ

    Por incrível que pareça, esse norte-americano era um bom lateral esquerdo, apoiava bem,não era fraco de tudo, quando entrou no time vascaino mandou bvem.

  • Carlos Geovanni

    vem a escalação deste time acima fico ate arrepiado,,,,,cruzes

MaisRecentes

Vasco rescinde com dois jogadores dos juniores



Continue Lendo

Quadrilha vascaína



Continue Lendo

Nenê: titular ou opção no banco?



Continue Lendo