Gilberto dispara na liderança, e Guiñazu marca seu primeiro ponto no Troféu Ademir Menezes



Gilberto marcou o gol da vitória sobre o Botafogo (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Gilberto marcou o gol da vitória sobre o Botafogo (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

– Quem foi Ademir Menezes?

Um dos maiores atacantes das décadas de 40 e 50 do futebol brasileiro, Ademir Menezes foi revelado pelo Sport. Entre 1942 e 1956, marcou 301 gols com a camisa vascaína. Sendo que, neste período, ainda atuou com a camisa do Fluminense em duas temporadas.

Em 1948 ajudou o clube a conquistar o Sul-Americano de Clubes – competição que deu origem à Libertadores – de forma invicta. Foi o primeiro grande título internacional da história do futebol brasileiro.

Dois anos depois, Queixada, como era conhecido, fez parte daquela Seleção que ficaria marcada pela derrota para o Uruguai na final da Copa do Mundo, no Maracanã. Na ocasião, marcou 9 gols em apenas 6 jogos. Recorde de um jogador brasileiro até hoje.

Encerrou sua carreira de jogador em 1957 e, dez anos depois, retornou à Colina, mas desta vez como treinador.

– O que é o Troféu Ademir Menezes?

O TAM é um ranking realizado durante a temporada que leva em conta os resultados ofensivos de cada jogador do Vasco, considerando gols, assistências e pênaltis sofridos.

– Entenda como são computados os pontos:

São computados os gols, as assistências e os pênaltis sofridos por cada jogador, para que se defina o vencedor. Para que se tenha uma disputa justa, cada gol marcado terá peso 2, ou seja, valerá dois pontos. Já as assistências e pênaltis sofridos terão peso um. Em caso de empate, levará a melhor quem tiver mais gols marcados. O segundo quesito é o número de assistências.

Confira como está a disputa do Troféu Ademir Menezes:
Legenda: Posição – Jogador – gols (pts) – assistências (pts) – pênaltis (pts) – total

1º – Gilberto – 9 (18) – 2 (2) – 1 (1) – 21 pontos
2º – Bernardo – 3 (6) – 9 (9) – 0 (0) – 15 pontos
3º – Rafael Silva – 5 (10) – 0 (0) – 0 (0) – 10 pontos
4º – Luan – 4 (8) – 0 (0) – 1 (1) – 9 pontos
5º – Marcinho – 3 (6) – 1 (1) – 0 (0) – 7 pontos
Thalles – 3 (6) – 0 (0) – 1 (1) – 7 pontos *
7º – Anderson Salles – 2 (4) – 1 (0) – 0 (0) – 5 pontos
Lucas – 2 (4) – 1 (1) – 0 (0) – 5 pontos
8º – Rodrigo – 2 (4) – 0 (0) – 0 (0) – 4 pontos
10º – Montoya – 1 (2) – 2 (2) – 0 (0) – 4 pontos
Jhon Cley – 1 (2) – 2 (2) – 0 (0) – 4 pontos
12º – Yago – 1 (2) – 1 (1) – 0 (0) – 3 pontos
Serginho – 1 (2) – 0 (0) – 1 (1) – 3 pontos
14º – Dagoberto – 1 (2) – 0 (0) – 0 (0) – 2 pontos
Douglas Silva – 1 (2) – 0 (0) – (0) – 2 pontos
16º – Madson – 0 (0) – 2 (2) – 0 (0) – 2 pontos
Julio dos Santos – 0 (0) – 1 (1) – 1 (1) – 2 pontos
18º – Jean Patrick – 0 (0) – 1 (1) – 0 (0) – 1 ponto
Christianno – 0 (0) – 1 (1) – 0 (0) – 1 ponto
Guiñazu – 0 (0) – 1 (1) – 0 (0) – 1 ponto

*Obs: Thalles havia recebido dois pontos por ter marcado um dos gols do Vasco na goleada de 5 a 1 sobre o Nova Iguaçu, porém, na súmula, o árbitro deu gol contra do zagueiro.

Facebook – https://www.facebook.com/BlogDoGarone
Twitter – https://twitter.com/BlogDoGarone



  • Pedro

    Garone, um comentário paralelo ao assunto principal do post. Acho muito fraca a exploração que o marketing do Vasco faz (em todas as gestões) acerca do Sul-americano de 1948. O Vasco não apenas foi o primeiro clube brasileiro a ganhar um título internacional, foi o primeiro clube do mundo a ser campeão continental! Deveria estar estampado enormemente em São Januário e ser uma das ‘marcas’ principais do clube, na minha opinião. Abs

  • ODILON SILVA – RJ

    Rafael Silva vem correndo por fora…………vamos que vamos.

MaisRecentes

Comendo pelas beiradas



Continue Lendo

Em boa fase, Pikachu já entra na lista dos dez maiores artilheiros do Vasco na história da Libertadores



Continue Lendo

Vasco rescinde com mais um jogador do Expressinho



Continue Lendo