Falta tudo ao Vasco, principalmente respeito



Defesa do Vasco é a pior do Campeonato (Foto: Ricardo Rímoli/LANCE!Press)

Defesa do Vasco é a pior do Campeonato (Foto: Ricardo Rímoli/LANCE!Press)

Eurico Miranda voltou ao Vasco com o discurso de que o respeito havia voltado. Talvez, dentro do clube, para os seus subordinados, o lema seja verídico, mas para a instituição perante os outros não. Aliás, jamais o Club de Regatas Vasco da Gama foi tão desrespeitado como vem sendo.

O vascaíno hoje reza por uma morte rápida, sem dor, mas não é atendido. O jogo começa e o momento mais esperado é o apito final. Perder por um gol de diferença passou a se tornar um grande feito, independente do adversário.

Isso não é respeito.

O Vasco hoje é referência negativa, assim como o 7 a 1 . O Vasco é um 7 a 1 que acontece duas vezes por semana, salve raras – muito raras – exceções.

Enumerar os erros do time e da diretoria é chover no molhado, basta ler as notícias e análises do dia a dia para ver quantos sintomas se repetem e não são curados. O Vasco está doente.

Quem fala que o time luta contra o rebaixamento é um otimista. A equipe briga, na verdade, para não fazer a pior campanha da história dos pontos corridos e terá que melhorar muito para que isso não ocorra.

Não há salvação para o Vasco de 2015. Talvez nem para 2016, se continuar assim.

O respeito que deveria ter voltado ao Vasco, era o respeito próprio, mas esse está bem longe de aparecer. Sem ele, fica impossível cobrar que os outros tenham o mesmo.

Não dá para respeitar um time que contrata três laterais direito na temporada, renova com outro e ainda assim tem que improvisar na posição. Não dá para respeitar uma equipe que assina com o lateral-esquerdo do clube rebaixado na Série B do Brasileiro de 2014 e o mantém como titular na primeira divisão.

Não dá para respeitar uma diretoria que contrata mais de 30 reforços, três treinadores, e não consegue agrupar 11 atletas em campo capazes de marcar ao menos um gol por jogo. Não há respeito num clube onde jogadores assinam contrato mas não para reforçar o time, mas sim para servir de ponte para outro.

Respeito não é anunciar que ‘não contrata para a torcida’. É o mesmo que o político que se vangloria de não governar para o povo. Não adianta se achar o ‘Rei Sol’, se sua intenção é iluminar o próprio umbigo.

Está tudo errado no futebol do Vasco, a começar pela falta de respeito com sua torcida e a sua história.

Restam três meses para o fim do Brasileirão e sonhar com permanência na Série A é utopia. O Vasco precisa tentar buscar uma nova vida agora visando a próxima temporada e não mais essa. O ano acabou, o que dá para tentar fazer é diminuir o tamanho da ressaca ‘pós-reveillon’.

Ao menos em respeito ao torcedor.



MaisRecentes

Mortal



Continue Lendo

Vasco tem mais lesões do que vitórias em 2018



Continue Lendo

Não é azar



Continue Lendo