Emprestado ao Macaé, lateral-direito Max espera voltar ao Vasco em 2016



Max está emprestado ao Macaé (Foto: Tiago Ferreira/Macaé)

Max está emprestado ao Macaé (Foto: Tiago Ferreira/Macaé)

Foram apenas 27 jogos pelo Vasco e somente um gol marcado. Revelado nas divisões de base do Vasco, o lateral-direito Max é o jogador que a mais tempo possui contrato profissional com o clube, tendo vínculo desde 2008. Revelado nas próprias divisões de base do Cruz-Maltino, o jogador está emprestado ao Macaé desde o início do ano e foi o grande destaque do time na última rodada da Copa Rio.

De volta a equipe após ficar duas semanas se recuperando de um edema na coxa esquerda, o camisa 2 marcou duas vezes na vitória do Alvianil Praiano por 3 a 2 sobre o Bonsucesso – o atacante Romário, também cria vascaína, marcou o outro -, nesta segunda-feira. Apesar do triunfo, a equipe macaense, que disputou a competição com um time B, por jogar também a Série B do Campeonato Brasileiro, acabou eliminada do torneio, terminando na 3ª posição do Grupo F.

Apesar da saída precoce da competição, Max comemorou o bom retorno ao time. Em rápida entrevista ao blog, o jogador falou sobre o seu atual momento e a expectativa em retornar ao Vasco, clube no qual tem contrato até junho de 2016.

BG – Seu retorno ao Macaé foi com gols e boa atuação. Você acredita que isso pode te ajudar a voltar a ter uma chance no Vasco?

M –  É sempre importante, não só marcar gols, como fazer boas partidas. Isso pode me ajudar a ter uma outra oportunidade no Vasco, que é o que eu tanto busco. Comecei o ano muito bem, dei uma caída no meio, mas espero terminar bem 2015 para que essa oportunidade possa aparecer assim que acabar a temporada.

BG – Você tem contrato com o Vasco até o meio do ano que vem. Alguém do clube já te procurou para falar sobre o seu futuro?

M –  Ainda não tive contato com ninguém da diretoria pra falar em relação ao ano que vem, até porque o clube está num momento importante e deve estar focado para se recuperar no Brasileiro. Mas espero que possam contar comigo para 2016.

BG – Você surgiu muito novo no Vasco e logo acabou emprestado a outros clubes – passou por Mogi Mirim, Paysandu, Caxias, América-RJ e Macaé. O que você acha que mudou nestes últimos anos que pode te ajudar a voltar a jogar pelo Vasco  (sua última partida com a camisa cruz-maltina foi em dezembro de 2012)?

M – Estou mais maduro, mais experiente, consegui jogar um Paulista, um Gaúcho e me ajudou bastante a corrigir algumas deficiências que eu tinha, como na marcação. Hoje em dia marco muito mais do que quando era novo. Consegui também a sequência que no Vasco não tive, devido as muitas lesões que sofri no começo de minha carreira. Isso foi o que mais me atrapalhou. Agora estou mais preparado, consegui ganhar mais massa muscular, o que me ajudou bastante.



MaisRecentes

O Vasco sem Nenê



Continue Lendo

Pikachu assume a vice-liderança do Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Luis Fabiano e a intimidade do gol



Continue Lendo