Como Pikachu e Éderson mudaram o ataque do Vasco



Éderson marcou em sua estreia (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress)

Éderson marcou em sua estreia (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress)

Posse de bola, obsessão de nove em cada dez treinadores. Ou mais. Transformar o domínio em chances de gol, uma árdua missão de todos eles. Inclusive de Jorginho, no Vasco.

A equipe cruz-maltina é atualmente a 4ª no ranking de passes certos na Série B, ficando atrás apenas de Oeste, Goiás e Bahia. Curiosamente, nenhum dos três figuram entre os oito primeiros colocados na competição e nem entre os melhores ataque do campeonato. O Vasco é uma exceção na lista – como era de se esperar pela qualidade do elenco em relação aos outros concorrentes -, porém, ainda assim, sofreu para criar nos últimos jogos.

Sem Riascos, o ataque vascaíno perdeu movimentação, objetividade e verticalidade. Ganhou presença de área com Thalles – às vezes com Leandrão -, mas ficou sem velocidade e penetração. Se tornou previsível, fácil de marcar. As entradas de Pikachu e Éderson no time, porém, parecem ter mudado este panorama.

A dupla foi um dos destaques do Vasco na virada sobre o Bragantino. Com infiltrações pela direita, Yago foi mais atacante que Jorge Henrique, dando opção inclusive para Thalles trabalhar fora da área. No primeiro tempo, o camisa 8 quase marcou exatamente num passe do atacante. Jogada que não acontecia com Julio dos Santos ou William na posição.

Thalles sai para fazer o pivô e Pikachu rompe a última linha na corrida para receber em condição de marcar. Repare que Jorge Henrique, na esquerda, não toma a mesma iniciativa, aguardando o passe no pé. Essa diferença na verticalidade de Pikachu, que JH não demonstra, ajudou na virada. (Foto: Frame/Youtube)

Thalles sai para fazer o pivô e Pikachu rompe a última linha na corrida para receber em condição de marcar. Repare que Jorge Henrique, na esquerda, não toma a mesma iniciativa, aguardando o passe no pé. Essa diferença na verticalidade de Pikachu, que JH não demonstra, ajudou na virada. (Foto: Frame/Youtube)

Apesar da derrota no primeiro tempo para o Bragantino – 1 a 0 -, o Vasco criou oportunidades. As duas principais, em finalizações de Pikachu: num chute de direita – imagem acima – e outra em uma cabeçada – abaixo – em nova infiltração como atacante. Diguinho – outro que alterou a característica da equipe, que agora conta também com a chegada de seu primeiro volante para servir o ataque – e Andrezinho ainda tentaram outras bolas para Yago, mas acabaram quase sempre cortadas. Não geraram gol, mas deu opção para um ataque que estava previsível.

Pikachu aparece no segundo pau para completar o cruzamento de Júlio César. Jorge Henrique participa da criação mas não da conclusão. Thalles puxa a atenção dos dois zagueiros e abre espaço para Yago aparecer no costado da zaga. (Foto:Frame/Youtube)

Pikachu aparece no segundo pau para completar o cruzamento de Júlio César. Jorge Henrique participa da criação mas não da conclusão. Thalles puxa a atenção dos dois zagueiros e abre espaço para Yago aparecer no costado da zaga. (Foto:Frame/Youtube)

A entrada de Éderson, no segundo tempo, deixou ainda mais clara a mudança de postura do time. Com dois jogadores velozes, que por características procuram sempre o gol – algo que falta para Jorge Henrique e Madson -, o Vasco pôde atacar mais pelo chão e usou menos o jogo aéreo, que tem surtido efeito apenas na bola parada.

Com velocidade, mas sem abrir pelas pontas, Éderson se aproximou de Thalles para tabelar e marcou logo na estreia. Jorge Henrique mais uma vez 'aceita' a marcação e não busca a infiltração. Com jogadores fazendo a ultrapassagem, Thalles mais uma vez consegue trabalhar como pivô, deixando de ser o último - e por vezes único - homem de frente. (Foto: Frame/Youtube)

Com velocidade, mas sem abrir pelas pontas, Éderson se aproximou de Thalles para tabelar e marcou logo na estreia. Jorge Henrique mais uma vez ‘aceita’ a marcação e não busca a infiltração. Com jogadores fazendo a ultrapassagem, Thalles mais uma vez consegue trabalhar como pivô, deixando de ser o último – e por vezes único – homem de frente. (Foto: Frame/Youtube)

Andrezinho e Nenê precisavam de opções para seus passes. Parece que Jorginho as achou.

E ainda tem Júnior Dutra para estrear…



MaisRecentes

Falta de dinheiro ou má gestão? Vasco contratou dois times apenas em 2018



Continue Lendo

A importância de Maxi López no Vasco



Continue Lendo

Ríos diminui diferença para Yago Pikachu no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo