A classificação do Vasco e a torcida única



Vasco e Flamengo farão uma das semifinais da Taça Guanabara (Foto: Marcelo Sadio/Vasco)

Vasco e Flamengo farão uma das semifinais da Taça Guanabara (Foto: Marcelo Sadio/Vasco)

É difícil classificar o atual momento do Vasco. Foi difícil a classificação do Vasco na Taça Guanabara. Mas aconteceu, e por mérito próprio. Ainda que aos trancos e barrancos.

É complicado também classificar o Carioca. Antes de começar, é tratado por muitos como um peso para os clubes, um estorvo no calendário. Depois que a bola rola e a rivalidade aflora, torna-se obrigatória a vitória, o bom rendimento em curto prazo e a conquista da taça. Seja ela Guanabara, Rio ou Estadual.

Só não vale pra quem não a ergue. E quem a levanta, tem a “obrigação” de ser cauteloso. Uma competição cheia de poréns, onde às vezes parece ser vantagem não vencer. Requer menos explicações.

Com um clássico pela frente, o que antes não ‘valia nada’ ganhou um peso de decisão. O Vasco, que tenta trocar a corrente de sua bicicleta com ela ainda em movimento, passou a ter a necessidade de vencer a corrida que antes consideravam apenas preparatória.

Tem roda que tá faltando, mas agora não dá para parar de pedalar.

“Carioca não é parâmetro”. Não é mesmo. Assim como a Copa do Brasil não é para o Brasileirão, que por sua vez é distinto da Libertadores, completamente oposto do Mundial e por aí vai.

Não é parâmetro porque simplesmente não é função de nenhum campeonato ser medida para outro. São coisas independentes, com pesos distintos, adversários, formatos, histórias e até regras de disputa.

Perde lá pra você ver se o clima não muda, se a pressão não aumenta e a cobrança também. Veja seu time vencer e tente tirar o sorriso do rosto. Não dá. A classificação do que é o Estadual parece variar de acordo com o personagem, o momento e o resultado.

O campeonato que “ninguém quer”, já tem sua primeira decisão. Um Vasco que ainda monta elenco colocará à prova seu time contra um Flamengo montado.

O Vasco é zebra pelo momento e favorito pelo histórico recente. É 0 a 0 quando começar, como todo clássico é. E sabe-se lá o que será quando terminar.

Certo é que o duelo já começou, nas declarações dos jogadores e na vibração dos torcedores. Únicos, não por estarem sós, mas por serem incomparáveis. Única explicação possível para a expressão ‘torcida única’ em um Clássico dos Milhões.

São duas torcidas únicas, não uma.



  • Racional

    Carioca não é parâmetro mesmo……
    Se têm dúvidas, verifique se os os campões dos 10 últimos campeonatos cariocas conseguiram ao menos vaga no mesmo ano para a libertadores……
    É o nosso combalido estadual (mais por culpa da federação)…..

MaisRecentes

O vaivém do Vasco para 2018



Continue Lendo

Sub-23: Vasco acerta com mais dois jogadores do São Gonçalo



Continue Lendo

Desábato será o 34º estrangeiro a defender o Vasco neste século



Continue Lendo