Cinco jogos históricos entre Vasco e Palmeiras



As histórias de Vasco e Palmeiras se encontram desde o primeiro duelo entre as equipes, no campo do extinto Andarahy Athletico Club, no Rio de Janeiro, em 1924. Vitória do antigo Palestra por 2 a 0, no dia 28 de setembro daquele ano.

Nestes pouco mais de 90 anos do confronto, mais de 100 jogos entre os clubes, com alguns históricos e inesquecíveis. Amigos nas arquibancadas, a rivalidade em campo se acirrou no fim dos anos 90, quando as duas equipes fizeram partidas memoráveis.

Em homenagem a este grande clássico nacional, historicamente marcado pela paz entre as torcidas e por partidas muito disputadas, listei cinco jogos inesquecíveis entre os dois. Confira:

– PALMEIRAS 5X0 VASCO – ROBERTO GOMES PEDROSA 1967

A primeira vez que os times se enfrentaram por uma competição nacional, foi no ‘Robertão’ de 1967, competição criada naquele ano. Ainda na primeira fase do torneio, o Verdão atropelou o Cruz-Maltino no Pacaembu, com um show do ponta esquerda Rinaldo, que marcou quatro dos cinco gols palmeirenses. O Palmeiras terminaria conquistando o seu segundo título nacional ao vencer a competição.

Palmeiras 5×0 Vasco
Data: 12/03/1967
Local: Pacaembu
Árbitro: José Teixeira de Carvalho
Gols: Rinaldo (4) e Gallardo

PALMEIRAS: Valdir (Donah), Djalma Santos, Djalma Dias, Minuca, Ferrari, Zequinha (Dudu), Ademir da Guia, Gallardo, Servílio (Jair Bala), César (Tupãzinho) e Rinaldo Técnico : Aymoré Moreira

VASCO: Édson (Franz); Jorge Luis, Brito, Fontana e Oldair; Salomão e Danilo; Nei (Nado), Bianchini (Nei), Adilson e Morais. Técnico: Zizinho

Time do Palmeiras campeão do Roberto e da Taça Brasil em 1967 (Foto: Reprodução)

Time do Palmeiras campeão do Roberto e da Taça Brasil em 1967 (Foto: Reprodução)

– VASCO 0X0 PALMEIRAS – CAMPEONATO BRASILEIRO 1997

Podemos dizer que a final do Brasileiro de 97 foi um tenso e disputado jogo de 180 minutos. Dois 0 a 0 que não refletiam as chances criadas em campo, mas que representam bem as atuações destacadas de Carlos Germano e Velloso embaixo das traves. Enquanto os olhos se voltavam para Edmundo, Evair, Viola e Oséas, foram os camisas 1 que brilharam na grande decisão daquele ano. Melhor para os vascaínos, que conquistaram assim o seu tricampeonato brasileiro.

2º JOGO DA FINAL:

Vasco Da Gama 0 x 0 Palmeiras (SP)
Data: 21/12/1997
Campeonato Brasileiro
Local : Maracanã (Rio De Janeiro – RJ)
Arbitro : Sidrack Marinho Dos Santos
Público : 89.900
Gols :
Vasco – Carlos Germano, Válber, Odvan, Mauro Galvão, Felipe, Luisinho, Nasa, Juninho (Pedrinho), Ramón (Alex), Edmundo e Evair (Nélson) Técnico : Antônio Lopes

Palmeiras – Velloso, Pimentel, Roque Júnior, Cléber, Júnior, Galeano (Marquinhos), Rogério, Alex (Oséas), Zinho, Euller e Viola (Cris) Técnico : Luís Felipe Scolari

Edmundo é travado por Cléber e Velloso (Foto: GazetaPress)

Edmundo é travado por Cléber e Velloso (Foto: GazetaPress)

– VASCO 2X4 PALMEIRAS – LIBERTADORES 1999

Após golear o Palmeiras por 5 a 1 pelo Rio-SP em janeiro – jogo que entraria num TOP 10 de partidas entre os clubes -, o Vasco viu o Verdão novamente à sua frente pela Libertadores. Na época, atual campeão da Libertadores, os vascaínos entraram na competição já nas oitavas de final, tendo os paulistas como adversários.

No primeiro jogo, em São Paulo, empate em 1 a 1  – Oséas (P) e Guilherme (V) marcaram – dava a vantagem ao time de São Januário que jogaria em casa na volta. O gol de Luizão para o Cruz-Maltino, logo no início do jogo, deu sinais que os cariocas brigariam pelo bi da Liberta, mas não foi o que aconteceu. Numa virada marcante, o Palmeiras conseguiu deixar São Januário com uma vitória por 4 a 2 e muita moral para seguir seu caminho rumo ao primeiro título sul-americano de sua história.

Vasco Da Gama 2 x 4 Palmeiras (SP)
Data: 21/04/1999
Taça Libertadores da América
Local : São Januário (Rio De Janeiro – RJ)
Árbitro : Wilson De Souza Mendonça
Público : 15.215
Gols : Luizão (Vasco 3/1ºT), Paulo Nunes (Palmeiras 29/1ºT), Alex (Palmeiras 32/1ºT), Ramón (Vasco 35/1ºT), Alex (Palmeiras 2/2ºT) e Arce (Palmeiras 5/2ºT)
Expulsão : Júnior (Palmeiras)

Vasco – Márcio, Zé Maria, Odvan, Mauro Galvão, Alex Oliveira, Nasa, Paulo Miranda (Luís Cláudio), Juninho, Ramón (Vágner), Donizete (Zezinho) e Luizão Técnico : Antônio Lopes

Palmeiras – Marcos, Arce, Júnior Baiano, Cléber, Júnior, Galeano (Rogério), César Sampaio, Alex (Roque Júnior), Zinho, Paulo Nunes e Oséas (Evair) Técnico : Luís Felipe Scolari

Alex e Paulo Nunes marcaram contra o Vasco em 99 (Foto: Arquivo LANCE!)

Alex e Paulo Nunes marcaram contra o Vasco em 99 (Foto: Arquivo LANCE!)

– PALMEIRAS 4X0 VASCO – TORNEIO RIO-PAULO 2000

De um lado, Romário e Edmundo sem se falar. Do outro, Euller e Pena – que deixou o colombiano Asprilla no banco -em grande fase sendo abastecidos por um genial Alex. Enquanto o Vasco rachava internamente, o Palmeiras usava a força do grupo.

E, no cabo de guerra entre os craques vascaínos, quem levou a melhor na final do Torneio Rio-São Paulo foram os palmeirenses, que venceram as duas partidas decisivas com até certa tranquilidade. No jogo de volta, em São Paulo, após vencer por 2 a 1 no Maracanã, goleou por 4 a 0, sem piedade.

Vasco Da Gama 0 x 4 Palmeiras (SP)
Data: 01/03/2000
Torneio Rio-São Paulo
Local : Morumbi (São Paulo – SP)
Árbitro : Jorge Dos Santos Travassos
Gols : Pena (Palmeiras 27/1ºT), Argel (Palmeiras 31/1ºT), Euller (Palmeiras 34/1ºT) e Arce (Palmeiras 23/2ºT)

Vasco – Hélton, Paulo Miranda (Maricá), Odvan, Mauro Galvão, Gilberto, Amaral, Válber, Juninho, Alex Oliveira (Pedrinho), Edmundo e Romário (Viola) Técnico : Antônio Lopes

Palmeiras – Marcos, Arce, Argel, Roque Júnior, Júnior (Tiago Silva), César Sampaio, Galeano, Rogério, Alex, Euller (Jackson) e Pena (Asprilla) Técnico : Luís Felipe Scolari

Palmeiras atropelou o Vasco na final do Rio-SP de 2000 (Foto: Divulgação/Palmeiras)

Palmeiras atropelou o Vasco na final do Rio-SP de 2000 (Foto: Divulgação/Palmeiras)

– PALMEIRAS 3X4 VASCO – MERCOSUL 2000

Vasco e Palmeiras chegaram a decisão da Mercosul de 2000 empatados no histórico de finais entre as equipes, com uma vitória para cada lado. Era o desempate entre os clubes tão iguais em sua história.

Na primeira partida, em São Januário, vitória vascaína por 2 a 0, gols de Romário e Juninho Pernambucano. Na volta, o saldo de gols não importava, portanto, o gol único do lateral Neném garantiu uma terceira disputa entre os clubes para ver quem ficaria com a taça de campeão da Mercosul.

Quisera o destino que as equipes fizessem uma das partidas mais antológicas da história do futebol. Nos oito últimos minutos do primeiro tempo, a equipe do Palestra Itália marcou três gols seguidos e foi para o intervalo com a mão na taça, sob os gritos de é campeão.

Romário e Juninho Paulista calaram o Palestra Itália (Foto: Arquivo LANCE!)

Romário e Juninho Paulista calaram o Palestra Itália (Foto: Arquivo LANCE!)

Porém, ao contrário do que havia acontecido no Rio-São Paulo no início do ano, os vascaínos voltaram para o segundo tempo e conseguiram uma virada que entrou para a história do esporte. Mesmo perdendo Júnior Baiano na etapa final, expulso, com três gols de Romário e um de Juninho Paulista o Cruz-Maltino se sagrou campeão.

Vasco Da Gama 4 x 3 Palmeiras
Data: 20/12/2000
Copa Mercosul
Local : Estádio Palestra Itália (São Paulo – SP)
Árbitro : Márcio Rezende De Freitas
Público : 29.993
Gols : Arce (Palmeiras 37/1ºT), Magrão (Palmeiras 38/1ºT), Tuta (Palmeiras 45/1ºT), Romário (Vasco 14/2ºT), Romário (Vasco 24/2ºT), Juninho Paulista (Vasco 41/2ºT) e Romário (Vasco 48/2ºT)
Expulsão : Júnior Baiano

Vasco – Hélton, Clébson, Odvan, Júnior Baiano, Jorginho Paulista, Nasa (Viola), Jorginho (Paulo Miranda), Juninho, Juninho Paulista, Euller (Mauro Galvão) e Romário Técnico : Joel Santana

Palmeiras – Sérgio, Arce, Galeano, Gilmar, Tiago Silva, Fernando, Magrão, Flávio, Taddei, Juninho e Tuta (Basilio)
Técnico : Marco Aurélio



MaisRecentes

A passividade de Zé Ricardo e a vingança de Coudet



Continue Lendo

Curiosidades sobre o duelo entre Racing-ARG e Vasco



Continue Lendo

Vasco regulariza reforço para o ataque



Continue Lendo