Bernardo e a responsabilidade de ser ‘o cara’ do Vasco



Bernardo viveu grande fase em 2011 (Foto: Paulo Sergio/LANCE!Press)

Bernardo viveu grande fase em 2011 (Foto: Paulo Sergio/LANCE!Press)

Eurico pediu um time ofensivo. Doriva falou que assim faria. Mas entre o que foi dito e a prática, parece que a diretoria esqueceu de um ‘pequeno detalhe’: reforçar o ataque.

O Vasco perdeu Douglas, Kleber, Dakson, Edmílson, Lucas Crispim, Maxi Rodriguez e Guilherme Biteco. Para seus lugares, chegaram apenas Marcinho, Julio dos Santos e Erick Luís, além dos garotos Matheus Índio e Romarinho.

Outro que reaparece no clube é Bernardo. E com moral. Pelos testes feitos por Doriva até agora, o jogador será o único homem de criação do time, com três velocistas à sua frente: Montoya, Marcinho e Rafael Silva.

É muita responsabilidade para alguém que não atua em alto nível há três anos.

Não que Bernardo não tenha qualidade, sempre teve e isso não se perde de um dia para o outro. Mas claramente não é o mesmo que em 2011, por exemplo. Há muito tempo, diga-se.

O difícil é saber que Bernardo teremos no Vasco em 2015. Aquele garoto abusado e artilheiro de 2011 ou o que vem oscilando entre lesões, polêmicas extra-campo e gols esporádicos?

Fisicamente, está mudado, não é o mesmo. Mas ainda pode ser importante se tiver a cabeça no lugar. Do atual elenco, é quem mais jogou (96) e mais marcou gols com a camisa vascaína (30).

É preocupante vermos essa dependência de apenas um homem no meio para criar. Ainda mais este sendo também uma incógnita. Até porque, falta um goleador. E se a bola não chegar redonda para estes caras, vai ser ainda mais difícil empurrá-la para dentro. Assim como foi no ano passado.

Em 2014 tivemos um time regular na defesa – à exceção dos erros de posicionamento dos laterais que sempre deixavam uma avenida – e um ataque improdutivo e previsível. Resultado: vários empates e um time mediano, medíocre.

Ainda acredito na chegada de reforços, um meia e um atacante de renome. Mas o tempo está passando e estamos ficando para trás. Bernardo ainda não pode assumir esta responsabilidade (até que prove o contrário). É um jogador para ajudar, não para decidir.

Em um ou outro jogo, até pode ser ‘o cara’. Mas para um ano inteiro, vai precisar de alguém para dividir a ‘responsa’.

Enquanto não chega mais ninguém, é torcer para o ‘Trator da Colina’ segurar as pontas e voltar a brilhar. Contra o Flamengo terá uma boa oportunidade de mostrar que ainda pode ser o xodó da torcida.

Pra cima deles!
Saudações vascaínas! /+/

Facebook – https://www.facebook.com/BlogDoGarone
Twitter – https://twitter.com/BlogDoGarone



MaisRecentes

Ríos se torna o 2º estrangeiro com mais gols pelo Vasco na história do Brasileiro



Continue Lendo

As duas faces de um empate



Continue Lendo

Artilheiro do Vasco, Pikachu vem tendo sua maior média de gols da carreira



Continue Lendo