Atenção: time em construção!



Montoya tem sido titular (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Montoya tem sido titular (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Para alegria dos pessimistas, o Vasco perdeu o jogo-treino para o Volta Redonda neste domingo. Se tivesse ganho por 6 a 0 não teria feito a menor diferença também. Afinal, foi só um treino, certo?

Se vencesse, falariam que não valia nada e que não serve de parâmetro. Mas como perdeu… Um prato cheio!

É claro que ganhar, mesmo no par ou ímpar, é sempre melhor, mas ainda não é hora de clamar por resultados. Como disse, se tivéssemos goleado ninguém aqui estaria dando pulos de alegria e cravando o Vasco como postulante ao título do Brasileiro por conta disso.

Esse jogo-treino (treino-jogo seria melhor) não diz nada sobre o time que teremos, apenas que estamos em construção. São apenas duas semanas de trabalho – praticamente uma apenas com bola -, oito jogadores ‘novos’ entre os titulares – que apenas empataram em 0 a 0 – e quase que toda a equipe reserva nova.

A ‘pelada’ contra o Voltaço serviu para Doriva acertar as arestas, ver se cada jogador realmente é capaz de realizar o que lhe é pedido, buscar alternativas, dar ritmo aos atletas e analisar o grupo que tem. Para ele, não para nós. Não à toa foi sem torcida.

Foi um primeiro ‘mini-teste’, como uma mãe passando a matéria a limpo com o filho antes das provas. Em casa, com direito de errar e sem avaliações de terceiros. Depois que viu onde está errando e onde está acertando, é sentar e estudar para melhorar o que está fraco e aprimorar os pontos fortes.

Como já escrevi outras vezes, não há certezas hoje no Vasco. Seja para o fracasso ou para o sucesso. E não será um jogo-treino, ganhando ou perdendo, que mudará isso.

Não dá para elogiar uma derrota, em treino ou em Libertadores, mas também não é hora de crucificar. É tempo de união. Se não na política, ao menos nas arquibancadas.

Saudações vascaínas! /+/

Facebook – https://www.facebook.com/BlogDoGarone
Twitter –  https://twitter.com/BlogDoGarone



MaisRecentes

Thiago Galhardo ultrapassa Wagner e Andrey no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

O indefensável



Continue Lendo

Reforços que não jogam: uma prática comum no Vasco há mais de duas décadas



Continue Lendo