Análise tática: um Vasco mais equilibrado



Diguinho fez boa partida (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

Diguinho fez boa partida (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

A primeira vitória do Vasco no returno teve alguns personagens importantes, e até inesperados. Mas o principal deles, foi o que colocou os outros em campo: o técnico Jorginho.

Cheio de desfalques, o treinador teve que mexer no time, promovendo alterações que foram fundamentais para o triunfo cruz-maltino. Mudanças essas que lhe trarão uma boa dor de cabeça para os próximos jogos. Manter ou não o time vitorioso desta quarta?

As entradas de Julio César e Bruno Gallo pela esquerda equilibraram o time, que passou a ter saída de bola também por lá, diminuindo a carga sobre Julio dos Santos e Madson. Mais centralizados, Diguinho, no 1º tempo, e Rafael Vaz – outra aposta de Jorginho que foi bem -, no segundo, conseguiram distribuir o jogo com clareza, buscando não apenas a via mais fácil, mas também o melhor caminho.

Porém, apesar da melhora no toque de bola, a linha do meio teve dificuldades para acertar a marcação, assim como a zaga. Na etapa inicial, Biro-Biro e Fernando Bob tiveram liberdade para armar as jogadas e levaram perigo. Com velocidade, o atacante ex-Flu conseguiu flutuar entre as linhas, principalmente sobre Madson. Quando o camisa 2 passou a fazer marcação individual e Diguinho colou em Bob, o perigo diminuiu.

Análise Vasco x Ponte - 4 4 2 em linha
Ofensivamente, a equipe cresceu apenas no segundo tempo, com as entradas de Andrezinho e Riascos. Com Nenê em noite pouco inspirada e Herrera sem conseguir dar sequência às jogadas, o time chegou apenas na bola parada antes do intervalo e em um contra-ataque puxado por Leandrão.

A entrada dos dois alterou o posicionamento ofensivo. Ao contrário do que apontou a placa do 4º árbitro, Andrezinho não entrou no lugar de Julio dos Santos. Não em campo. O meia atuou pela esquerda, na posição antes ocupada pelo atacante argentino. Na direita, na função do paraguaio, Nenê foi deslocado e, após o camisa 10 cansar, Riascos passou ocupar o espaço.

Análise Vasco x Ponte - Andrezinho na esquerda
As alterações foram fundamentais para a melhora do time, já que Julio e Herrera pouco produziram. Apesar de se enrolar com a bola em alguns momentos, o colombiano ajudou a quebrar o pragmatismo ofensivo do Vasco, se movimentando e trocando de posição com Nenê. Em alguns momentos, Riascos fechou na área como centroavante, e assim nasceu o gol vascaíno.

Análise Vasco x Ponte - gol momento 1
A entrada do gringo na área junto com Leandrão mexeu com a defesa da Ponte, que recuou em bloco para marcar a dupla e deixou a entrada da área livre. Riascos fez o pivô e encontrou Andrezinho sem marcação. Enquanto o colombiano dominava, Leandrão já voltava para fugir dos zagueiros e se posicionar livre. Faro de artilheiro.

Análise Vasco x Ponte - gol momento 3



MaisRecentes

A importância de Maxi López no Vasco



Continue Lendo

Ríos diminui diferença para Yago Pikachu no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Após quase 80 anos, Vasco volta a apostar em dupla de ataque argentina



Continue Lendo