Análise tática: um Vasco mais equilibrado



Diguinho fez boa partida (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

Diguinho fez boa partida (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

A primeira vitória do Vasco no returno teve alguns personagens importantes, e até inesperados. Mas o principal deles, foi o que colocou os outros em campo: o técnico Jorginho.

Cheio de desfalques, o treinador teve que mexer no time, promovendo alterações que foram fundamentais para o triunfo cruz-maltino. Mudanças essas que lhe trarão uma boa dor de cabeça para os próximos jogos. Manter ou não o time vitorioso desta quarta?

As entradas de Julio César e Bruno Gallo pela esquerda equilibraram o time, que passou a ter saída de bola também por lá, diminuindo a carga sobre Julio dos Santos e Madson. Mais centralizados, Diguinho, no 1º tempo, e Rafael Vaz – outra aposta de Jorginho que foi bem -, no segundo, conseguiram distribuir o jogo com clareza, buscando não apenas a via mais fácil, mas também o melhor caminho.

Porém, apesar da melhora no toque de bola, a linha do meio teve dificuldades para acertar a marcação, assim como a zaga. Na etapa inicial, Biro-Biro e Fernando Bob tiveram liberdade para armar as jogadas e levaram perigo. Com velocidade, o atacante ex-Flu conseguiu flutuar entre as linhas, principalmente sobre Madson. Quando o camisa 2 passou a fazer marcação individual e Diguinho colou em Bob, o perigo diminuiu.

Análise Vasco x Ponte - 4 4 2 em linha
Ofensivamente, a equipe cresceu apenas no segundo tempo, com as entradas de Andrezinho e Riascos. Com Nenê em noite pouco inspirada e Herrera sem conseguir dar sequência às jogadas, o time chegou apenas na bola parada antes do intervalo e em um contra-ataque puxado por Leandrão.

A entrada dos dois alterou o posicionamento ofensivo. Ao contrário do que apontou a placa do 4º árbitro, Andrezinho não entrou no lugar de Julio dos Santos. Não em campo. O meia atuou pela esquerda, na posição antes ocupada pelo atacante argentino. Na direita, na função do paraguaio, Nenê foi deslocado e, após o camisa 10 cansar, Riascos passou ocupar o espaço.

Análise Vasco x Ponte - Andrezinho na esquerda
As alterações foram fundamentais para a melhora do time, já que Julio e Herrera pouco produziram. Apesar de se enrolar com a bola em alguns momentos, o colombiano ajudou a quebrar o pragmatismo ofensivo do Vasco, se movimentando e trocando de posição com Nenê. Em alguns momentos, Riascos fechou na área como centroavante, e assim nasceu o gol vascaíno.

Análise Vasco x Ponte - gol momento 1
A entrada do gringo na área junto com Leandrão mexeu com a defesa da Ponte, que recuou em bloco para marcar a dupla e deixou a entrada da área livre. Riascos fez o pivô e encontrou Andrezinho sem marcação. Enquanto o colombiano dominava, Leandrão já voltava para fugir dos zagueiros e se posicionar livre. Faro de artilheiro.

Análise Vasco x Ponte - gol momento 3



MaisRecentes

Ríos se torna o 2º estrangeiro com mais gols pelo Vasco na história do Brasileiro



Continue Lendo

As duas faces de um empate



Continue Lendo

Artilheiro do Vasco, Pikachu vem tendo sua maior média de gols da carreira



Continue Lendo