Análise tática: Jorginho errou ao mudar o que ele mesmo havia consertado no Vasco



Andrezinho jogou mais avançado que nos últimos jogos (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Andrezinho jogou mais avançado (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

O Vasco que foi derrotado pelo São Paulo, pela Copa do Brasil, atuou de uma maneira diferente da que vinha jogando no Brasileiro, onde está invicto há quatro partidas. E a alteração vai bem além do fato de ter iniciado o jogo com apenas um atacante. Foi o meio-campo cruz-maltino que sofreu a principal mudança.

O equilíbrio conquistado nas últimas rodadas passava fundamentalmente pelas funções exercidas por Bruno Gallo pela esquerda e Julio dos Santos – depois Andrezinho – pela direita. A utilização de meias de origem na função de segundo homem de meio de campo foi o que melhorou a saída de bola da equipe, mas Jorginho alterou isso.

Análise tática - SP x Vasco - Serginho na direita

Contra o Tricolor, com a volta de Rodrigo, decidiu adiantar Rafael Vaz para a cabeça de área, ’empurrando’ Serginho para o lado direito e avançando Andrezinho. Com isso, o time deixou de ter uma transição de maior qualidade pela direita, perdendo uma de suas principais armas ofensivas.

Ao contrário do que o treinador deve ter imaginado, Andrezinho e Nenê não tiveram mais liberdade com esta formação, na verdade ficaram ainda mais isolados. Com a saída de bola comprometida, a equipe voltou a abusar da ligação direta, deixando a dupla de meias e o atacante Herrera completamente vendidos em meio à marcação são-paulina.

Análise tática - SP x Vasco - nene e andrezinho
Jogando recuado, ao contrário do que havia feito em sua última partida fora de casa, contra o Cruzeiro, o técnico esboçou um Vasco no contra-ataque, mas esqueceu da principal característica para isso dar certo: a velocidade. Sem Jorge Henrique e Rafael Silva, Jorginho poderia ter optado por Renato Kayser para fazer essa função de winger, jogando mais aberto porém fechando como atacante e não como um ‘ponta comum’.

Adiantar Andrezinho tirou essa velocidade que era necessária. Deixa-lo na direita e optar por Vaz ou Serginho em campo ao invés dos dois, colocando um jogador mais ágil à frente seria uma opção mais condizente com a formação tática que vinha dando resultado.

Jorginho errou ao mudar o que ele mesmo havia consertado. Que use a partida contra o São Paulo como um exemplo do que não deve voltar a fazer.



MaisRecentes

Vasco prorroga os contratos de dois jogadores do sub-20



Continue Lendo

Mais do que casa, São Januário é a arma do Vasco



Continue Lendo

Em fase artilheira, Pikachu já é um dos maiores goleadores do Vasco neste século



Continue Lendo