A zona vascaína



Vasco foi derrotado pelo Botafogo (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Vasco foi derrotado pelo Botafogo (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Fazer gols no Vasco se tornou um hobby nacional neste Campeonato Brasileiro. Está para o futebol assim como a missa para a igreja. Se tornou algo religioso, ecumênico. Todos participam.

A ideia de Milton Mendes de construir um time a partir da defesa foi ao solo mais rápido que um bumbo em São Januário.

Pior: essa fragilidade defensiva sequer acontece em razão de um tesão ofensivo incontrolável da equipe. Muito pelo contrário. O time consegue ser mórbido e frágil em seus dois extremos.

E no meio, que não sabe se vai ou se fica.

Contra o Botafogo, o Cruz-Maltino novamente optou por uma marcação por zona do início ao fim. Não só do jogo, mas do campo. O Glorioso trocou passes em seu ataque com a mesma tranquilidade que o fez em sua defesa. Não foi raro ver os vascaínos perseguindo uma bola quase que invisível para si.

Fruto de uma ocupação de espaço que praticamente ignora a redonda, onde os atletas se portam como bonecos de totó, espaçados entre si, mas didaticamente alinhados. Enquanto isso, a bola, nos pés de uma equipe que sabe muito bem o que deve fazer, rodava quase sempre às costas do marcador do Vasco.

O Botafogo roda a bola. O Vasco, marca a bola. Logo, o Vasco roda. Tonto, não marca.

Por sorte de Milton Mendes, não é característica da equipe de Jair Ventura propor o jogo durante os 90 minutos. Caso contrário, o placar poderia ter sido mais elástico.

Os espaços deixados por Henrique e Paulão para Bruno Silva e Roger, respectivamente, no lance do primeiro gol do clássico, assentariam ao menos cinco famílias de sem-terra, com uma pequena horta horizontal e duas vagas na garagem.

Não houve – e quase nunca tem havido – qualquer pressão para retomar a posse antes da intermediária defensiva. Curiosamente, essa era uma das características de Milton em seus primeiros jogos pelo Vasco. Algo mudou.

Um homem de muletas, em diagonal, arremataria contra Martin Silva sem ser ao menos desequilibrado.

Já o Botafogo, como de costume, se posicionou todo em seu campo de defesa, obrigando os zagueiros vascaínos a jogarem, pressionando após o primeiro passe, dobrando em cima do homem da bola que recebia de costas – Douglas e Nenê, quase sempre – e saindo em velocidade.

Um choque de estratégias no Estádio Nilton Santos.

A marcação em zona proposta por Milton Mendes tem feito jus ao nome. Pior: tem sido uma zona que evita contatos físicos e que preza pelo distanciamento. Essa zona ninguém gosta. Só quem joga contra.

Na frente, o símbolo maior das decisões equivocadas que vêm sendo tomadas ocorreu aos 38 minutos do 1º tempo.

Falta frontal para o Vasco. Placar marcando 1 a 0 para o Botafogo. Nenê e Douglas Luiz na bola. Mateus Vital mais ao lado. Pikachu esperando uma chance de cobrar. Paulão, Breno, Jean e Luis Fabiano dentro da área.

DG ameaça partir. E para. O camisa 10 dá duas passadas rápidas e chega até a bola. A movimentação na área é grande.

Nenê rola para o lado… Para Henrique… A bola explode na defesa e sai pela linha de fundo.

Sete minutos depois, o Botafogo tem cobrança em posição parecida. João Paulo rola de lado e Victor Luís acerta lindo chute. Simples e eficiente.

Coisa que só acontece com quem tenta. E treina.

O Vasco foi, novamente, previsível.

De banco, Nenê se tornou outra vez referência. Agora, preso em um dos lados – esquerda no 1º tempo e na direita na maior parte do 2º. Um alvo fácil para a excelente marcação do Botafogo.

E toma-lhe cruzamento para Luis Fabiano sozinho contra três. Ou quatro.

Milton Mendes precisa repensar toda a sua ideia de jogo. Não apenas a formação, mas as estratégias, as jogadas ensaiadas e, principalmente, a postura defensiva da equipe.

É preciso organizar a bagunça. Ou melhor, a zona.



  • Adilson Lourenço

    Essa defesa do Vasco parece uma peneira, qualquer um entra, todo mundo faz gol no Vasco, só não tomou gol do Avaí, time do pior ataque do campeonato com 3 gols em 9 jogos, e ainda assim se não é São Martim Silva no finalzinho…O que mais me irrita neste time do Vasco é a passividade do time quando marca e a lentidão quando está com a bola, é muito fácil marcar o time do Vasco, um time lento e previsível. Outra coisa que não entendo é a insistência com o Pikachu, que com todo o respeito é jogador pra Paysandu, Remo, Sampaio Correa entre outros, a camisa do Vasco é muito pra ele.
    O Nenê não tem a menor condição física de jogar aberto na esquerda ou na direita puxando contra ataques, ele não tem velocidade pra isso, será que não está claro pelo amor de Deus?
    Milton Mendes parece mais perdido do que cego em tiroteio, esse negócio de montar um time pra jogar dentro e outro pra jogar fora eu não engulo. E pra piorar de vez o Vasco perde de 3 a 1 pro Botafogo e o técnico da os parabéns para o time e diz que ficou satisfeito com o que viu, das duas uma, ou ele é um fanfarrão, ou então ele viu outro jogo. Ta duro torcer pro Vasco, e não é de hoje, mas eu que sou um apaixonado pelo clube da Colina não desisto, mas que não está fácil, não está. Saudações Vascaínas!!!

    • Marcelo

      Nao concordo em relação ao Nenê…Correu muito e foi combativo na marcação, ele e o LF….é muito fácil crucificar o Nenê que ja tem uma certa idade e fechar os olhos pra dois garotos que nao estão jogando absolutamente nada…Mateus e Douglas…alguem precisa baixar a bola desses garotos que ja se acham craques…principalmente o Douglas. Mas é evidente que o maior culpado é o Milton Mendes, pois existem treinadores sem curso algum e que com apenas uma semana de trabalho acertam o sistema defenaivo de uma equipe….

      • Thiago Teixeira

        Acho que Adilson quis dizer que Nenê não pode jogar aberto, pelo desgaste grande que é, porque marcar laterais e pontas rápidos, é muito difícil, imagina pra quem já está veterano… concordo que ele foi combativo junto com o L.F., mas eram quase sempre eles dois se acabando e o time olhando. Realmente Douglas está se achando um grande craque, coisa que ainda está longe de acontecer, apesar de boas atuações em vários momentos, só que MM não é o único culpado, apesar de ser o “treinador” da equipe, mas tb a imprensa que colocou esse garoto lá em cima… precisam ter cuidado, pq ele tem talento, mas tudo ocorrerá no seu tempo.

        • Marco

          Ja venho falando isso sobre o Douglas faz algum tempo, reclama muito, mas nao vem jogando tanto quanto reclama, e se joga de 2nd volante, vai, e o pior, nao volta, vira so atacante. Ja com relacao ao Nene e L.Fabiano, nenhum dos dois tem condicoes de ir a frente e voltar marcando lateral, mas podem atrapalhar a saida de bola e evitar a facilidade de transicao defesa/meio de campo do adversario. O que menos gosto e a postura defensiva do time, que por sinal, nao funciona. Nao adianta jogar enfiado atras, se quando consegue recuperar a bola, nao tem ou sabe o que fazer com ela. Pela novela criada nos ultimos meses, a proxima estreia devera ser do Bruno Paulista. Agora, como MM montara esse time? M.Silva, Gilberto, Breno, Paulao, e Henrique; Jean e Bruno; Douglas,

    • José Dos Santos Beirauti

      Não concordo com a critica feita ao Milton, é melhor dá os parabéns ao time do que sair atirando contra os jogadores, assim como fez o Guto Ferreira que disse que ele não joga e sim os jogadores, depois do empate contra o Paraná.

  • Dirceu

    De novo você, contrariamente ao Milton, assistiu à partida. Como disse outra vez, ele está totalmente perdido e o tempo corre contra nós.
    Nosso sistema defensivo continua mal posicionado, marcando a bola, não o jogador; e o time não compacta para roubar a bola do adversário e partir para o ataque. Aliás, não existe ataque. Simplesmente as bolas são cruzadas na área, para que um único atacante precise contrariar as leis da probabilidade e fazer um gol.
    Não consigo entender um time com um atacante veterano, que não pode ser lançado em velocidade, portanto, sem a capacidade de jogar em contra ataque, ter na área em seus ataques só dois jogadores. Ontem, LUIZ Fabiano e, ocasionalmente, Pikachu. O que vai acontecer é óbvio: cruzamentos inúteis, temos a posse de bola, mas nada de positivo é produzido.
    Quando o time adversário se posta defensivamente, os caminhos são as jogadas pelas laterais com pelo menos três jogadores dentro da área para a conclusão, ou a roubada de bola no seu campo e as jogadas de velocidade em contra-ataque. Não temos nada disso.
    O time está mal escalado e mal treinado.
    Nosso inventor se mostrou mais uma vez criativo ao lançar o Madson pela direita, há meses sem jogar, e o Gilberto pela esquerda, sem nenhuma efetividade, além de lançar precocemente o Paulo Vitor; e todas essas alternativas sem treino.
    O time precisa se defender melhor, mas, principalmente, ter poder de ataque. Só jogadores com características de ataque podem fazer essa função. Eles ajudam o sistema defensivo, mas são atacantes de natureza, devem saber se posicionar na área, fazer gols.
    O Milton já nos provou que atingiu ao seu limite de competência. Persistir nos custa a carne e estamos, há muito, magros, sem reservas.

  • Luiz Eduardo Vaz

    Mais um perfeito comentário André…aliás vejo nesse espaço vários torcedores que veem o mesmo jogo, porém diferente do nosso treinador, que vê um jogo que só ele vê…não é de hoje, o Vasco tem um meio campo que NÃO MARCA, SÓ CERCA…a defesa totalmente desprotegida…o ataque não ajuda, os zagueiros e o meio campo adversário tocam a bola com a maior tranquilidade…até o Avaí tocou a bola contra o Vasco enquanto apenas cercávamos o adversário, como é um time limitado não fez gol no Vasco…vejam o time do Botafogo, todos marcam até o Roger e o Pimpão…Mateus Fernandes, João paulo, Bruno Silva, Lindoso, Pimpão, Roger são talentosos, não mas jogam com determinação os 90 minutos…são bem agrupados não deixam o adversário jogar e quando estão com a bola se deslocam o tempo todo…a previsibilidade do time do Vasco é assustadora…bola chega ao Nenê e ele cruza pra área pro LF sozinho…o Mateus NÃO ENTRA NA ÁREA NUNCA, é incrível vc nunca vê ele na área…erros que se repetem a cada jogo…nem vou falar das substituições totalmente sem critério…a cada jogo uma invenção, ontem foi o Madson…e pra fechar com chave de ouro o MM gostou do time e pasmem NÃO SABIA QUE O VASCO TINHA A DEFEZA MAIS VAZADA DO CAMPEONATO !!! vai ver ele deve estar achando o desempenho defensivo bom…

  • Mengao .

    kkkkkkkk se o MENGAO ganhar com menos de 4 gols de diferença … nem comemoro …. FREGUES kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Jhay Carvalho

      Fregueses? Ganhar ? Logo do pai de vcs Vasco da gama? vc deve estar maluco. kkkkkkk

      • Mengao .

        Olha uma freguesa VASCUMERDONA kkkkkkkkkkkkkkkkkkk relaxa q daqui uns dias iremos descer a mamona em vcs … aguarde … FREGUESA. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Alessandro Louzada

    Criticar o tecnico é muito facil quando nao se tem material humano pra trabalho. Nao estou defendendo o Milton, mas o que pode ser feito? Nosso meio de campo nao é criativo, e é formado por dois garotos de 18 e 19 anos. Temos uma zaga que foi montada a exatos 33 dias, esperar entrosamento e partidas decentes é ser muito otimista, nao acha? O cara é obrigado a fazer testes em jogo, se alguem cometer 1 erro, sera fatal. É exatamente o que vem acontecendo, erros bobos e simples no começo das partidas estao fazendo o Vasco ir pra cima fora de casa, ai nao tem jeito. Junta a falta de entrosamento, com falta de opçao para mudar e um time extremamente limitado, da nisso que estamos vendo.

  • Thiago Teixeira

    Concordo plenamente com a maioria dos comentários, além é claro, com a opinião na reportagem, “MM precisa repensar sua ideia de jogo”. Não é possível que um jogador (nem precisa ser craque), não perceba que cruzando a bola de forma insistente para a área, contra 4-5 defensores adversários e apenas 1 jogador parceiro dentro, terá uma chance quase zero de acerto. Os zagueiros do Vasco tem liberdade para tocar a bola, só não tem opções, até que lancem para uma das pontas e que esse jogador faça o cruzamento pra ninguém. Não existe jogada de triangulação no time, as jogadas “ensaiadas”, parece que esquecem de combinar; quase não realizam jogadas de iniciativa 1×1… realmente, uma completa desorganização. Não temos os piores jogadores do Brasil, mas ainda não conseguimos formar um time, será que é tanto por falta de opção ou por parte de direção e administração?

  • Jackson Valdo

    O erro do MM é não saber orientar o limitado do Jean! O fraco do Henrique!
    Eu acho o Bruno Gallo mais jogador que o Jean…. E poderia tentar o Egídio do Palmeiras!
    E outra, tem que colocar o Wagner pra jogar

  • Marco

    Ja venho falando isso sobre o Douglas faz algum tempo, reclama muito, mas
    nao vem jogando tanto quanto reclama, e se joga de 2nd volante, vai, e o pior, nao volta, vira so atacante, e o Jean que se vire. Ja com relacao ao Nene e L.Fabiano, nenhum dos dois tem condicoes de ir a frente e voltar marcando lateral, mas podem atrapalhar a saida de bola e evitar a facilidade de transicao defesa/meio de campo do adversario. O que menos gosto e a postura defensiva do time, que por sinal, nao funciona. Acho que o MM ainda nao acordou pro fato de que, nao adianta jogar enfiado atras, se quando consegue recuperar a bola, nao tem ou sabe o que fazer com ela. Pela novela criada nos ultimos meses, a proxima estreia devera ser do Bruno Paulista. Agora, como MM montara esse time? M.Silva, Gilberto, Breno, Paulao, e Henrique; Jean e Bruno; Douglas, Matheus, e Nene; L.Fabiano. Provavelmente tirara o Matheus ou o Nene para a entrada do Manga ou Caio, se tentar fazer o time mais ofensivo. Na verdade, tentar jogar toda a responsabilidade para o MM e relativamente facil, visto que tem tido uma sequencia de escalacoes e substituicoes que ninguem consegue entender/aceitar. Que o time e fraco para aquilo que a torcida gostaria, e uma realidade que so nao ve quem nao quer, mas mesmo assim, da para faturar uma vaga na Sulamericana. Ps.: Nao e a previsibilidade do posicionamento/escalacao que atrapalha, mas a falta de jogadas e entrosamento, nessa “zona” que temos em campo. Agora, talvez a torcida ponha os pes no chao, e veja que nosso campeonato e por ali, SP, Coritiba, Chape, Bahia, Ponte, Sport, Vitoria, Atl-PR, Atl-GO, Avai

  • Carlos Geovanni

    Tudo errado , o lugar do nene é no meio, o Luiz fabiano e ex-jogador e o Breno e muito lento , o Paulão coitado acha que bicar a bola pra fora e futebol a cada jogo bica umas 20 , e por ultima colocar o M.Matos no lugar do jean talvez este esquema funcione pq o Matos e volante volante mesmo.
    O douglas poderia jogar mais avançado em um 4-5-1 com o caio monteiro de um lado e o manga do outro ali no meio o nene e o Douglas .Pronto ZAGA PROTEGIDA E MAIO CAMPO FORTE. tem que fazer faculdade pra isto.
    Alen disto o cara não ooloca o Wagner para jogar e nem o barbudo la.
    Ficaria: Martin,Gilberto Paulão, “sobe um garoto”e Henrique, M.Matos,Buno Galo,Douglas,Wagner, nene, L.fabiano.

  • Paulo Wagner

    Nada mais a dizer. Tudo está aí acima, na análise do que é o Vasco dos últimos anos. O time tem tantos problemas, tantas fraquezas, que é presa fácil para qualquer equipe mais ou menos organizada. Só esse ano, tomamos dois vareios de bola do Fluminense; dois vareios de bola do Corinthians; um passeio do Palmeiras e, agora, uma saraivada do Botafogo. Que só não foi pior por sorte. Ou pena… O problema maior é que isso se repete há anos e os “mestres” do futebol no Vasco parecem não enxergar o óbvio do que acontece: o elenco é fraco, os jogadores contratados não acrescentaram grandes coisas e ainda não se achou um treinador que fosse capaz de dar consistência defensiva ao time. O que o Corinthians fez, é o que o Vasco deveria fazer: o elenco é limitado, mas arruma-se a defesa, monta-se um esquema e um time e, depois que isso estiver resolvido, parte-se para resolver o ataque. Sem esquecer que, conforme aprendi ainda na década de 70, o meio-campo é a alma do time. Se não ajudar na defesa, ela fica vulnerável; se não tiver qualidade para auxiliar o ataque, este fica estéril. E esse é o retrato do Vasco. Até agora, São Januário ajudou. Vamos esperar que continue ajudando…

MaisRecentes

Zé Ricardo e Milton Mendes, os antagonistas



Continue Lendo

Sub-20: Vasco contrata atacante de 19 anos que estava no Atlético-PR



Continue Lendo

A queda de Milton Mendes



Continue Lendo