A volta do 4-2-3-1 ao Vasco



Time do Vasco no início do Carioca 2015 (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Time do Vasco no início do Carioca 2015 (Imagem feita através do app Line-Up 11)

O mundo dá voltas, já diz o ditado. No futebol, dá várias. E rápidas.

O Vasco mudou de técnico, trouxe reforços, alterou o esquema e agora, menos de um mês após a chegada de Celso Roth ao clube, o treinador volta a utilizar a formação com que a equipe iniciou a temporada.

Sob o comando de Doriva, o time começou 2015 no 4-2-3-1, com dois jogadores abertos pelas pontas, um falso 9 e um homem de criação mais centralizado. Porém, após alguns jogos, Bernardo, Marcinho, Montoya e Rafael Silva caíram de rendimento e começaram a perder espaço.

Entrada de Gilberto fixou o centroavante e Julio dos Santos recuou pelo lado direito, dando liberdade a Madson (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Entrada de Gilberto fixou o centroavante e Julio dos Santos recuou pelo lado direito, dando liberdade a Madson (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Com status de artilheiros da última Libertadores, Julio dos Santos ganhou uma vaga entre os titulares e, posteriormente, Gilberto também entrou. Apesar de teoricamente ser o meia armador pela direita, o paraguaio, em razão da sua falta de velocidade, acabou se posicionado mais como volante, liberando Madson para apoiar. Com isso, a equipe passou a adotar o 4-3-2-1 com uma postura sólida e não uma variação.

Apesar de mudar em razão de características individuais, o time se encaixou e conquistou o Campeonato Carioca. Porém, a falta de criatividade no meio se acentuou ao enfrentar adversários mais gabaritados no Brasileiro. Doriva não conseguiu solucionar, caiu e Roth assumiu.

De cara, o novo treinador mudou a estrutura da equipe, colocando em campo um 4-4-2 com duas linhas de quatro bem definidas, com volantes e meias atuando lado a lado. Contra a Chapecoense, o esquema foi mantido, mas a entrada de Biancucchi e o recuo de Riascos tirou a velocidade do time.

Vasco venceu Flamengo e Avaí com um time mais fechado e compacto (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Vasco venceu Flamengo e Avaí com um time mais fechado e compacto (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Na estreia de Andrezinho, a formação foi desfeita. Com três volantes, Celso botou em campo um 4-3-1-2 que não funcionou, principalmente pela distância entre os jogadores. Quanto mais linhas, mais solitário o jogador. Quanto maior a linha, maior a compactação.

Com as chegadas de Herrera, Eder Luís e Andrezinho, além da volta de Dagoberto, Roth passou a ter mais opções ofensivas e decidiu mudar novamente. Mudou mas não inovou. Contra o América de Natal, mandou a campo uma escalação bem semelhante a que iniciou o ano. Não nos nomes, mas no posicionamento dos jogadores.

Formação atual do Vasco sem desfalques (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Provável formação do Vasco sem desfalques (Imagem feita através do app Line-Up 11)

Nome por nome, a equipe parece mais encorpada do que a que iniciou o ano. Porém, terá que ganhar entrosamento e ritmo em meio a um campeonato que o Vasco já ‘começa’ com atraso.



MaisRecentes

Diego Souza seria um bom reforço para o Vasco?



Continue Lendo

A insistência com Paulão e o Galhardo que decide



Continue Lendo

A passividade de Zé Ricardo e a vingança de Coudet



Continue Lendo