A ‘verdade’ sobre os públicos do Vasco na Série B



Vasco tem colocado mais público como visitante (Foto: Divulgação/Vasco)

Vasco tem colocado mais público como visitante (Foto: Divulgação/Vasco)

Nos últimos dias surgiram em diversos portais algumas matérias sobre as maiores médias de público das séries A, B e C. Levando em consideração apenas os jogos como mandante, o Vasco aparece somente na 32ª colocação geral. Uma péssima posição para um clube que tem uma das maiores torcidas do país.

Ter média de pouco mais de 5 mil torcedores atuando em São Januário realmente não é uma boa marca, mas é reflexo do futebol apresentado nos últimos meses. Ou anos.

Em contrapartida, há um erro de análise, ao me ver, quando se olham apenas os números como mandante. A condição do Vasco na Série B é diferente. Assim como o perfil do seu torcedor.

Dos cinco maiores públicos da Série B, quatro são de jogos do Vasco. Inclusive o recorde de 55.445, um dos maiores do futebol brasileiro no ano, contra o Ceará. Porém, todos como visitante.

O Vasco na Série B é desanimador para sua torcida, principalmente para a parcela do Rio que pode optar por ir em qualquer um dos mais de 40 jogos que serão realizados no município durante o ano. Nos outros estados, porém, é a chance quase que única dos torcedores acompanharem o clube. Inclusive os simpatizantes dos rivais.

Dos 17 adversários que o Vasco já enfrentou na Série B como visitante – faltam Bragantino e Criciúma -, onze deles bateram seus recordes contra o Cruz-Maltino: Ceará (55.455), Paysandu (28.938), Atlético-GO (17.339), Sampaio Corrêa (32.180), CRB (11.225), Londrina (13.318), Joinville (8.724), Goiás (14.587), Tupi (11.812), Brasil de Pelotas (5.211) e Luverdense (4.048).

Contra outros dois adversários, o duelo com o Vasco aparece entre os três maiores públicos das equipes: 35.023 contra o Bahia e 14.648 contra o Náutico.

Nestes confrontos, a média do Vasco sobe para cerca de 19.400 pagantes por rodada, mesmo atuando muitas vezes em estádio menores que os acostumados na 1º divisão e contra adversário mais modestos. O quádruplo do público como mandante. Nenhum clube da Série B levou tantos torcedores como visitante. Com esta média, na Série A, seria o 9º.

Essa é a diferença , que ao meu ver deveria ser considerada, quando um grande joga a 2ª divisão: ele também atrai torcida mesmo fora de seus domínios. Por isso, no meu entender, há um erro quando se aponta somente os números como mandante.

Nessa situação, o time é mais atração fora do que dentro de casa. É novidade.

O Vasco anda mal das pernas, é inegável. Seu torcedor está cansado, irritado e desanimado, isso é nítido e autoexplicativo pelos recentes rebaixamentos e atuações. Mas o clube segue sendo atração por onde passa.

Seja para quem torce a favor ou contra.

MAIORES PÚBLICOS DA SÉRIE B 2016

1º – Ceará 0x0 Vasco – 55.455 pagantes
2º – Bahia 1×0 Sampaio Corrêa – 35.658 pagantes
3º – Bahia 1×0 Vasco – 35.023 pagantes
4º – Sampaio Corrêa 0x4 Vasco – 32.180 pagantes
5º – Paysandu 3×1 Vasco – 28.938 pagantes



MaisRecentes

Bruno César não é Maxi López



Continue Lendo

Sub-20 do Vasco poderá superar o desempenho do time de 2010, que revelou Allan e Luan



Continue Lendo

A Martín o que é de Martín



Continue Lendo