A primeira ‘dose’ de Celso Roth no Vasco



Vasco dobrou a marcação a partir da intermediária (Foto: Divulgação)

Vasco dobrou a marcação a partir da intermediária (Foto: Divulgação)

O Vasco venceu. E, nessa altura do campeonato, é tudo que a torcida do Vasco quer e precisa saber.

E não ganhou uma partida qualquer. Foi um clássico contra o maior rival, também adversário direto na briga para deixar a zona de rebaixamento. Valeram os três pontos conquistados, os três perdidos pelo Flamengo e mais outros que virão após o time espantar a ‘zica’ que o perseguia.

O Vasco precisava vencer não apenas para pontuar, mas para resgatar a moral e confiança do elenco e de sua torcida. Se havia um momento ideal para a vitória sair, era neste domingo. E veio.

Celso Roth montou uma equipe que entrou ‘engatilhada’ no primeiro tempo. Com todos os jogadores atuando atrás da linha da bola, mas com Riascos e Gilberto pressionando os volantes, o Cruz-Maltino forçou os erros do Rubro-Negro, aguardando uma chance de ir ao ataque e definir. Precisava de apenas um tiro certeiro e a oportunidade surgiu na ultrapassagem de Madson, que cruzou com perfeição para o atacante colombiano abrir o placar.

Ao contrário do que Doriva vinha fazendo, o Vasco deu a bola para o adversário, como se dissesse: ‘Se é pra errar, que seja você’. E assim foi. O Flamengo errando e o cruz-maltino tentando usar a velocidade para chegar ao gol.

Até o intervalo, o esquema montado pelo treinador funcionou com maestria. O time deixava o Fla jogar, mas apenas até o meio-campo, dobrando a marcação nos meias na intermediária. Literalmente deu corda para o adversário se enforcar. Enquanto os jogadores – principalmente os de frente – tiveram pernas para fazer a recomposição, o Vasco foi superior em campo.

As falhas individuais aconteceram, mas foram amenizadas pela organização tática da equipe nos primeiros 45 minutos. Se não dá para injetar qualidade técnica nos atletas que lá estão, ao menos o treinador conseguiu minimizar os efeitos. Méritos de Roth.

No segundo tempo, faltou perna para o time. Ainda assim, conseguiu segurar o placar até o fim. Apesar da queda de rendimento, os três pontos conquistados valem mais que qualquer análise neste momento. Ganhar tendo altos e baixos ainda é mais interessante do que perder fazendo o ‘tiki-taka’ do Barcelona.

Eurico contratou Roth para voltar a vencer e o remédio fez efeito logo em sua primeira dose. Agora é continuar o tratamento.



MaisRecentes

Thiago Galhardo supera Evander no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Diego Souza seria um bom reforço para o Vasco?



Continue Lendo

A insistência com Paulão e o Galhardo que decide



Continue Lendo