100% destino



Jhon Cley marcou o golaço que garantiu a vitória do Vasco sobre o Fluminense (Foto: Cléber Mendes/LANCE!Press)

Jhon Cley marcou o golaço que garantiu a vitória do Vasco sobre o Fluminense (Foto: Cléber Mendes/LANCE!Press)

Uma onda ‘Euriquista’ se abateu nas Laranjeiras nas últimas semanas. Provocações, piadas, comentários para aumentar a rivalidade entre Fluminense e Vasco antes do jogo… Tudo o que o dirigente sempre fez, mas com a ineficiência que toda imitação corre o risco de ter.

O Tricolor tratou como conquistas a chegada de Ronaldinho Gaúcho ao clube e o fato de poder utilizar o lado direito das arquibancadas do Maracanã, que é exatamente igual ao esquerdo. Mas para quem não tem nada – um estádio -, metade – um lado – é o dobro.

Por 90 minutos, os tricolores puderam se sentar onde os vascaínos estiveram – por mérito, não por contrato – por mais de 60 anos e assistiram R10 não jogar com a camisa do Flu. Contra o time onde ele também nunca jogou, mas virou personagem.

Porém, mais vale um Andrezinho em campo do que um Ronaldinho nas arquibancadas. Independente do lado que sente. De melhor na posição no estádio, talvez apenas a visão do golaço de Jhon Cley. Uma pintura vista de qualquer ângulo.

Das vitórias que realmente importavam, os vascaínos queriam apenas uma: a em campo. Entre lado esquerdo e direito, se preocuparam com o que acontecia no meio. E o que se viu foi o destino mais uma vez batendo à porta.

No clássico 354 entre os rivais, pela 139ª vez o Cruz-Maltino saiu de campo vitorioso, contra apenas 113 do Fluminense. Nos últimos 10 duelos, foram 7 vitórias vascaínas, três empates e nenhum triunfo tricolor.

De diferente na história, apenas o ângulo de observação dos tricolores. O que costuma acontecer entre os lados, mais uma vez ocorreu. Vitória vascaína.

Na briga pelo lado, o Fluminense terminou no que tem sido o seu por direito – e não contrato – nos últimos tempos quando enfrenta o Vasco: o lado que chora.

Freguês é freguês independente do lado do balcão que se sente.

É o destino!



MaisRecentes

Sub-20 do Vasco poderá superar o desempenho do time de 2010, que revelou Allan e Luan



Continue Lendo

A Martín o que é de Martín



Continue Lendo

Valentim precisará fazer muito mais em 2019 para justificar sua permanência



Continue Lendo