Técnicos de Sporting e Benfica protagonizam longa briga pela imprensa cheia de baixarias



O técnico Jorge Jesus saiu do Benfica no meio do ano passado como bicampeão português, e virou a casaca, indo para o time do seu coração. Agora no Sporting, está em um verdadeiro pé de guerra com Rui Vitória, o seu sucessor no Encarnado. A troca de farpas entre eles já tem até algumas baixarias. Nas últimas, o leonino disse que nem considera o seu rival um treinador e que ele é “top”.

Tudo começou logo em agosto, pouco tempo depois da mudança de Jesus, que foi quem começou tudo. Disse que nada tinha mudado no Benfica, que Vitória utilizava as ideias anteriores, mas que o cérebro não estava lá. O benfiquista respondeu que as coisas deveriam ser modificadas. Cerca de um mês depois, nova cutucada. Disse que falou tudo isso para que mudasse o time, e que deu resultado: um time com a cabeça de Rui, ou seja, pior, em sua concepção. O encarnado retrucou que só se preocupa com o seu time e que não pensa nos outros.Jesus chegou nesta temporada ao Sporting (Foto: AFP)

Em outubro, quem começou foi Rui Vitória. Antes do dérbi na Luz, disse que: “vai jogar uma equipe, que somos nós, contra onze jogadores, não sei se será uma equipe, que é o Sporting”. Jesus respondeu dizendo que, se quisesse, colocava o rival “desta tamanhinho”, juntando o polegar e o indicador. Resultado? Goleada de 3 a 0 para os Leões na casa do rival.

Em dezembro, Vitória disse que não via ninguém em Portugal com um ataque tão avassalador como o do seu time. Jesus mandou: “Com o Sporting, o Benfica não é o mais avassalador. A situação se inverte”.

Na penúltima rodada, Vitória disse que será sempre fiel aos seus princípios de ética, e que iria respeitas os colegas sem usar truques. Mas disse que Jesus era obcecado pelo Benfica. Até colocou Julen Lopetegui, agora  ex-Porto, no bolo. A resposta do seu rival após a goleada sobre o Vitória de Setúbal, ao ser perguntado se é um “mau colega”, foi um verdadeiro chute na cara.

– Mau colega e treinador? Para ser treinador tem de ser muito mais. Como eu não o classifico como treinador não sou mau colega – disse Jesus, que já confessou que essa briga de coletivas de imprensa faz parte de sua estratégia:

– Fiz isso para ele sair da toca, que era o que queria. Tem de se assumir. Agora vamos ver se aquela Ferrari continua. Quando se conduz uma Ferrari tem de ter andamento para ele. Não ofendo colegas. Ele defende os interesses dele e eu os meus, cada um com as suas ideias…

Antes da rodada desse fim de semana, Vitória respondeu. Disse que conseguiu chegar a um clube do tamanho do Benfica mais cedo do que Jesus, e questionou a trajetória do rival.

– O treinador do Sporting, antes de chegar ao Benfica teve 20 anos de carreira onde andou ganhando algumas vezes, e perdendo outras, sendo despedido umas vezes e contratado outras. Com a idade que eu tenho ele lutava pela subida de divisão – disparou.

Porém, Jesus, claro, não ia deixar barato. Detalhou o seu currículo e disse que hoje é um técnico top na Europa.

– Se hoje me considero um treinador top, porque me considero, é pelo trabalho que tive durante vários anos em divisões inferiores. Para chegar à Primeira Divisão tive de subir pelo meu trabalho. Resumindo e concluindo, naquelas equipas onde andava também conquistava os meus objetivos – concluiu.

Agora é esperar pelos próximos capítulos.



MaisRecentes

CR7 inaugura seu primeiro hotel e vai batizar o aeroporto da ‘Pérola do Atlântico’



Continue Lendo

Clube português promove dispensa coletiva e causa revolta em sindicato



Continue Lendo

Trio brasileiro estreia com vitória pelo Porto em amistoso de pré-temporada



Continue Lendo