Barcos deve encontrar dificuldade para se firmar a curto prazo no Sporting



O Sporting anunciou nesta segunda-feira a surpreendente contratação de Barcos. Surpreendente por dois motivos. Primeiro porque foi de uma hora para a outra. Até sábado, não se falava em uma ida do Pirata para Lisboa. E depois porque é um jogador que chega com salário alto, e muito provavelmente na condição de reserva. Condição para conquistar a vaga até tem, mas mais se Jorge Jesus mudar o esquema do que pela concorrência com Slimani.

O treinador sportinguista sempre foi fã do 4-4-2, e assim foi campeão português pelo Benfica, tendo Jonas e Lima no comando do ataque. Os dois arrebentaram e fizeram muitos gols. Porém, não é muito provável que ele faça uma dupla entre Barcos e Slimani. Os dois brasileiros têm características que se encaixam para uma parceria. Ambos são grandes finalizadores, mas são leves. São capazes de sair da área com facilidade, buscar tabelas, e até alguma arrancada para o gol. Com Gaitán apoiando, tudo se encaixou ainda melhor.

Barcos e Slimani também são exímios finalizadores, e o argentino, em algumas partidas pelo Grêmio – como aquela contra o Fluminense na Libertadores de 2013, com vitória por 3 a 0 dos gaúchos no Engenhão -, mostrou que também pode recuar. Mas o argelino tem 1,86m, enquanto o hermano tem 1,89m. É muito centímetro para uma dupla só. Isso contra 1,81m de Jonas e 1,78m de Lima…

É verdade que o Sporting já perdeu Carrillo, que está perto do Benfica, e ainda deve ver Téo Gutiérrez, Fredy Montero e Tanaka saírem. O japonês, aliás, já foi emprestado ao Kashiwa Reysol. Todos atacantes. Mas são de outros estilos.

Jesus levou o Sporting à liderança do Campeonato Português jogando no 4-2-3-1. William Carvalho e Adrian na frente da defesa, com uma linha de três formada por Bryan Ruíz, João Mário e mais um. Ele testou vários para este lugar, inclusive esses atacantes que estão saindo, além dos garotos Carlos Mané, Matheus Pereira e Gelson Martins.

Todos são ótimos valores e vão dar muitas alegrias, mas quem encaixou bem ali foi Bruno César. Um meia. Com esse esquema, e o brasileiro entrando aos poucos, Slimani, rival direto de Barcos, deslanchou. A partir do jogo contra o Porto no início do ano, emplacou uma sequência de oito gols em cinco jogos. Só foi passar em branco no último, contra a Académica. E tem uma confiança tremenda de Jesus.

Como a diferença técnica entre os grandes de Portugal para os pequenos é grande, uma boa alternativa para Jorge Jesus é colocar suas torres gêmeas contra os adversários mais frágeis. Caso eles mostrem uma boa parceria, pode até dar certo. Caso contrário, é provável que o Pirata tenha que esperar até o meio do ano, quando o argelino provavelmente será negociado, para se firmar de vez na Terrinha.



MaisRecentes

CR7 inaugura seu primeiro hotel e vai batizar o aeroporto da ‘Pérola do Atlântico’



Continue Lendo

Clube português promove dispensa coletiva e causa revolta em sindicato



Continue Lendo

Trio brasileiro estreia com vitória pelo Porto em amistoso de pré-temporada



Continue Lendo