Rodada de gala deixa Benfica e Sporting sozinhos na disputa. Porto melancólico



A rodada do fim de semana do Campeonato Português, que teve confrontos reunindo os quatro primeiros colocados, trouxe algumas dúvidas e outras certezas. Como o Benfica derrotou o Sporting e assumiu a liderança, abrindo apenas dois pontos restando nove rodadas, tudo pode acontecer entre os rivais lisboetas. Agora o que já é definitivo, a menos que algo muito bizarro aconteça, é que o Porto está fora da luta pelo troféu. Outra certeza é o belo trabalho de Paulo Fonseca no Braga.

Vamos então por partes, seguindo a posição de cada time na tabela. O Benfica é líder merecido. A disputa pelo título com o Sporting é justa, os dois estão fazendo por merecer o título. Nesse momento, Rui Vitória tem mais o seu time na mão, definiu de vez a sua equipe e o resultado está vindo. Nos últimos 16 jogos, perdeu só um e ganhou 15.

Desde que estabeleceu o 4-4-4 com Jonas e Mitroglou na frente, com um meio formado por Pizzi, Samaris, Renato Sanches e Gaitán, o time deslanchou. A defesa está segura, muito graças a entrada do jovem sueco Lindelöf, que vem muito bem durante a lesão de Luisão, capitão, líder e ídolo do Encarnado. A equipe está consistente. No clássico, ao invés de jogar como pequeno, como Jorge Jesus insistiu, atuou com inteligência, e saiu do José Alvalade com a liderança.

Do outro lado, o Sporting pecou pela falta de poder de fogo. E de pontaria. Principalmente de Bryan Ruiz. O costarriquenho jogou bem, mas aquele gol que ele perdeu… Aquilo não se faz nem em pelada, quanto mais em um clássico contra o seu maior rival em casa valendo a liderança! Ainda assim, a torcida deu uma linda demonstração de apoio.

– Falhamos gols quase impossíveis. São coisas do jogo, a sorte também tem influência e fez com o que Benfica saísse daqui ganhando sem saber como ganhou. Jogou como time pequeno. O empate já era injusto, ter perdido ainda pior. Mas o futebol é isto, ganhar é que conta – disse Jesus, para depois ouvir a resposta de Vitória:

– O que me move é a grandeza do Benfica. Não tenho dúvidas que represento um clube com uma grandeza enorme. Importante é o Benfica ganhar.

Agora o Sporting vai precisar enfileirar uma bela sequência de vitórias, pois vai ser difícil o Benfica vacilar e perder pontos. Vale lembrar que o Encarnado não tem mais clássicos, enquanto os Leões ainda visitam o Porto.

Por falar em Porto… A vida do Dragão está complicada. A partida contra o Braga foi o retrato da temporada. Ser derrotado pelos Arsenalistas na Pedreira é “ok”. Mas do jeito que aconteceu e que a temporada se encaminha para um fim melancólico… Time sem inspiração, sem criatividade, sem poder de fogo, e sem a menor segurança na defesa. A imagem do gol de Alan, deixando Casillas a ver navios, é até triste para o goleiro, que culpa nenhuma teve.

Começo a achar que o problema do Dragão é a quantidade de idiomas falados. Só no ataque, neste domingo, tinha um sul-coreano, um português e um argelino. As alternativas eram um camaronês e um mexicano. Sério, como essa galera se entende?

Agora falando sério… O Porto perdeu vários jogadores importantes: Danilo, Alex Sandro, Casemiro, Óliver Torres, Quaresma, Jackson Martínez… Todos muito bons. A reposição foi muito abaixo. Muito mesmo. A saída de Julen Lopetegui foi justa quando aconteceu, mas a verdade é que o seu sucessor, José Peseiro, está abaixo da expectativa. E depois de ter sido expulso do jogo, garantiu outra tendência do Dragão na temporada: reclamar da arbitragem. Já está chato.

– Se expulsassem todos os treinadores da forma que eu fui expulso, não sei se acabavam jogos com treinadores. Nessa altura estava falando com os meus jogadores. O (Carlos) Xistra ainda me perguntou se estava falando com ele. É porque teve dúvidas. E se tinha dúvidas não deveria me expulsar. Avaliou mal toda a situação – disse.

Ou o Porto faz uma grande reformulação, livra-se de jogadores como Marcano (que falhou feio demais contra o Braga), Varela, Aboubakar, Marega, Ángel, Evandro e Suk, e coloca a mão no bolso para fazer contratações inteligentes, ou vai para o seu quarto ano sem levar o Campeonato Português.

Por último, o Braga. Paulo Fonseca se destacou em 2012/13 ao levar o modesto Paços de Ferreira à Liga dos Campeões. Foi para o Porto. Teve que se virar ao perder João Moutinho e James Rodríguez em uma tacada só. Não foi bem, foi demitido, voltou ao seu ex-time, foi bem de novo e foi para o Braga. E o seu trabalho é digno de nota. Já são 15 jogos sem perder, é o único português ainda vivo na Liga Europa, já que Dragão e Sporting caíram. Duvido nada que retorne ao time azul e branco no meio do ano…



MaisRecentes

CR7 inaugura seu primeiro hotel e vai batizar o aeroporto da ‘Pérola do Atlântico’



Continue Lendo

Clube português promove dispensa coletiva e causa revolta em sindicato



Continue Lendo

Trio brasileiro estreia com vitória pelo Porto em amistoso de pré-temporada



Continue Lendo