Diário de viagem: Brasil teve passagem melancólica por Santiago



Foi estranho. Muito esquisito. A estadia do Brasil por Santiago foi uma coisa meio melancólica. E também um tanto quanto blasê. Não teve neymarzete, poucos fãs e por outro lado também pouca pressão. Mas o ambiente fica irrelevante diante do resultado e do desempenho da equipe. Uma derrota com um time sem força de reação.

Nos treinos fechados de Dunga, confesso que ficava imaginando enquanto batia as matérias para o site do LANCE!: “O que será que ele está arrumando lá no campo?”. Sinceramente – não sei se sou ingênuo ou não – mas esperava mais da Seleção. O Chile, todo mundo já sabia, seria uma parada duríssima.

Mas o Brasil – não só pelos vários contra-ataques perdidos – decepcionou. Faltou compactação, não houve troca de posições e movimentação entre as peças ofensivas, nenhuma chegada dos volantes como fator surpresa à frente (eu fico imaginando o que deve estar passando na cabeça do Elias, tão acostumado a apoiar no clube).



MaisRecentes

Foi épico. Mas o Tucumán flertou com a tragédia



Continue Lendo