Jogador gosta de competição



Qualquer garoto quando entra em uma pelada é fominha e quer marcar gols. Faz o possível e o impossível para ganhar. A competitividade é algo muito saudável, principalmente no esporte. Logicamente que respeitando os aspectos éticos, faz bem ao elenco de um clube ter seus jogadores lutando até mesmo nos treinos em busca de seu espaço. Alberto Valentim vem conseguindo reforçar isso no Botafogo. Talvez, seja o grande mérito de seu trabalho até o momento.

É visível que com ele alguns atletas esquecidos no plantel passaram a mostrar a cara. Marcinho para mim é um dos exemplos mais claros.

A insatisfação de Leonardo Valencia e Brenner ao serem substituídos contra o Vasco foi encarada por alguns como indisciplina. O treinador alvinegro tratou como algo natural. Não existiu desrespeito com ele e sim a vontade de dar mais em campo, de mostrar que é capaz. Mas Valentim não se surpreendeu ou puniu os atletas pois entende que aquilo nada mais é do que a continuação da luta que exige durante os treinos.

Outro reflexo saudável desta luta é que o Botafogo não desiste do jogo. Ganhou assim o título carioca, com um gol nos acréscimos. Repetiu a fórmula contra o Audax Italiano na estreia na Copa Sul-Americana. Mesmo diante de um Palmeiras melhor qualificado tecnicamente, não se intimidou nem mesmo quando saiu atrás. Isso é competitividade.

O Botafogo não conta com um elenco brilhante. Mas também está longe de ser dos piores. Está na média da grande maioria que participa deste Brasileirão. Sendo assim, essa raça e determinação devem sim fazer a diferença na reta final. Se seguir nesta linha, o Botafogo de Alberto Valentim tem muito a crescer. E se a torcida comprar a briga, esse crescimento vai ser ainda maior.



MaisRecentes

Valentim e o caminho errado



Continue Lendo

O desejo de priorizar o elenco passa por Carli



Continue Lendo

Uma estreia que permite projetar um bom futuro



Continue Lendo