Nelson Mufarrej x Marcelo Guimarães: o curioso lado da eleição



Quando se escreve sobre política nos clubes o dever de todo jornalista é o de ser imparcial. Por isso, acompanhei com muita atenção as entrevistas feitas pelos companheiros Felippe Rocha e Rafael Bortoloti, de maneira brilhante, com os candidatos à presidência do Botafogo. Nelson Mufarrej e Marcelo Guimarães falaram sobre diversos temas. Me coloquei na condição de eleitor, de torcedor, como alguém que precisasse escolher quem tem mais condições de gerir o clube pelos próximos anos usando as entrevistas como ferramenta.

Quando se faz escolhas, principalmente entre apenas duas possibilidades, é preciso analisar o que um tem de bom e que você não consegue perceber no outro. Vejo Mufarrej com uma base política montada, algo importante para tocar o clube. Tem o respaldo do atual presidente, cujo trabalho não deixa dúvidas. Pereira se tornou quase que uma unanimidade por um misto de prudência, eficiência e um quê de sorte. Sei que ele vai ficar bravo por falar em sorte, mas, ele trocaria Ricardo Gomes por Jair Ventura caso não fosse a proposta do São Paulo? Aguardo resposta. Nelson Mufarrej carrega o compromisso da continuidade. Uma fórmula que deu certo, sem sombras de dúvidas.

Já Marcelo Guimarães procura o tempo todo se apresentar como uma opção de profissionalismo, de avanço de gestão. Tem sim projetos interessantes e deixa nas entrelinhas a necessidade de despolitizar o Botafogo. Curioso, levando em consideração alguns de seus aliados. Mas no saldo, parece bem preparado.

Mas então votar em Mufarrej ou em Guimarães? Não os enxergo como capazes de, neste mesmo período, levando em consideração apenas 2018 a 2021, mudar tão positivamente a realidade. Fatores externos e históricos recentes ainda comprometem o sucesso do clube. Sinceramente, também não vejo que nenhum dos dois ofereça risco ao Botafogo, pelo menos não para o próximo triênio. Portanto, que o eleitor tire as suas conclusões e continue cada vez mais perto do clube, independentemente do resultado.



  • Bira Fogão

    A parte inicial da entrevista que o Guimarães fala de profissionalismo, eu gostei muito. Depois, ele mostrou-se apenas um grande fanfarrão.
    A julgar somente pela entrevista; eu diria que o nosso caro “Mufa” não se elegeria nem para “síndico” de cemitério.
    Na esteira do CEOMelhor Estádio do Rio……Melhor CT do Brasil.
    NINGUÉM SEGURA O FOGÃO!!!!!

    • Goiásfogo

      BOM. NOTA 8,00. CONCORDO COM VOCÊ BIRA FOGÃO, ALIÁS TEMOS MUITAS OPINIÕES PARECIDAS. VEZ E OUTRA DISCORDAMOS, POIS SOU UM CRÍTICO DE DIRIGENTES AMADORES E SEM EXPERIÊNCIA NA GESTÃO DE CLUBES DE FUTEBOL.
      TEM-SE QUE SABER DOSAR A PRUDÊNCIA PARA NÃO SE TORNAR COVARDIA E MEDO EM ARRISCAR, E ARRISCAR O NECESSÁRIO SEM COMETER LOUCURAS QUE COMPROMETAM O PRESENTE E INVIABILIZEM O FUTURO DA INSTITUIÇÃO.
      PORÉM SEM DISPOR-SE DE UM ELENCO MINIMAMENTE CAPAZ DE OBTER-SE BONS RESULTADOS E TRAZER O TORCEDOR PARA PERTO DO CLUBE A A FAVOR DA EQUIPE QUE INTEGRA COMISSÃO TÉCNICA, ELENCO E DIRIGENTES, O CLUBE FICA SOZINHO E VAI PERDENDO A MOTIVAÇÃO, E SEM APOIO DE TORCIDA PERDE TAMBÉM CAPACIDADE FINANCEIRA, POR FALTA DE SÓCIOS, SÓCIOS-TORCEDORES EMPOLGADOS E DISPOSTOS A AJUDAR FINANCEIRAMENTE.
      ALÉM DE COM O AUMENTO DA TORCEDORES OBTIDOS COM OS RESULTADOS EM CAMPO, PRESSIONA O INTERESSE DE PATROCINADORES DE PESO, QUE TRAZEM INVESTIMENTOS INTERESSANTES PARA O CLUBE.
      ENFIM UMA BOLA DE NEVE, QUE TANTO PUXA PARA CIMA, QUANTO PARA BAIXO, QUANDO A REALIDADE É AO CONTRÁRIO.

      • Bira Fogão

        Meu amigo e irmão Botafoguense Goiásfogo, realmente nós temos muitos pontos de vistas em comum. Principalmente, quando do início da gestão do Presidente CEP. Porém, à medida que o tempo foi passando, o CEP me provou ser um grande e dileto Botafoguense, e por isso os nossos conceitos comuns foram diminuindo. No meu caso, eu passei a ponderar as minhas críticas por levar em consideração a grave situação financeira do Clube; e também pelo grande esforço que esse homem fez e faz para tocar o nosso barco. Devido a isso, eu entendo ser injusto a gente só atirar pedra nessa administração; principalmente nos aproveitando das derrotas do nosso time. Porque, meu caro, nas vitórias os críticos “tomam doril” e só aparecem por aqui três dias depois.
        Não creio que qualquer um de nós estando no lugar do Presidente fizesse coisa muito melhor do que tem feito pelo Botafogo FR.
        O coberto é curto; se cobre a cabeça os pés ficam de fora. Temos que vender o almoça para comprarmos a janta. E não é nada fácil para quem quer que seja administrar nessa situação.
        Quanto aos meus conceitos, ele é restrito e específico aos comentários em pauta.
        De você, principalmente, nada é pessoal; muito pelo contrário. Eu vejo em você uma grande pessoa de família e de muito bom caráter.

        SAN!!!

  • carlos barroso

    Mufarrej é um profissional capaz e está alicerçado pelo CEP e toda atual diretoria.
    Esse trabalho precisa continuar.
    O Botafogo neste momento não precisa de aventureiro.

  • Bruno

    Chega de mentalidade pequena. O Botafogo vive do futebol. Temos que ter gente pensando em ganhar títulos, não apenas pensando em tentar uma vaga na libertadores. O Marcelo demonstra uma mentalidade de vencedor, ao contrário do CEP.

  • José Milton Rocha

    A gestao CEP fez o que o Botafogo precisava e ninguém fez, resolver as finanças do clube e colocá-lo de volta ao nível dos grandes do futebol brasileiro, ainda que todos estejam nivelados por baixo. Por isso merece todos os elogios e fazer seu sucessor. Mas é preciso entender que clube nao vive sem títulos. A torcida sofre com o insucesso, a zoação dos rivais e não forma novos torcedores. Sem descuidar da politica financeira, está, na hora contudo de montar time para disputar titulos.

MaisRecentes

Botafogo: O dilema entre a história de Tite e a pressão sem coerência



Continue Lendo

Libertadores é obrigação! Mas para quem?



Continue Lendo

O alerta de Jair Ventura



Continue Lendo