Classificação seria épica



O Botafogo decide contra o Flamengo na quarta a classificação para a final da Copa do Brasil. Por tudo o que aconteceu ao longo do ano, uma vaga na grande decisão poder ser considerada uma conquista épica. A simples presença do Glorioso nesta etapa da competição já era algo inimaginável para boa parte da mídia no início do ano. Mas o Botafogo de Jair Ventura se nega a perder e luta por objetivos nas três frentes que realmente quis enfrentar em 2017.

A dramaticidade do confronto se tornou ainda mais forte com as perdas de Joel Carli e Rodrigo Pimpão no jogo de ida. O primeiro é o melhor zagueiro em atividade no futebol carioca em 2017 e um dos melhores do país. Se não é um primor técnico, tem senso de localização, antecipação, colocação e uma liderança que vai fazer falta. Se não vinha tão bem nos últimos jogos, Pimpão, queira ou não, é uma referência neste time. Sua ausência ainda priva o Glorioso de ter Guilherme entrando apenas no segundo tempo, com a defesa rival cansada.

Com um regulamento digno de quem dirige a CBF, que não permite a inscrição de reforços, o Botafogo vai com elenco ainda mais reduzido para este jogo, pois perdeu Fernandes e Leandrinho diante da Ponte Preta. Ou seja, o time titular está na conta do chá e não há muitas opções no banco.

Mas mesmo assim não se deve duvidar do Botafogo. O que esse time fez em 2017 torna injusto acreditar que o Botafogo não tem chance. Muito pelo contrário, pois se a tarefa é considerada épica, Jair Ventura e seu time parece gostar um pouco mais.

RACISMO: Quis separar o tema do jogo, pois isso nada tem a ver com esporte. Lamentável a postura do cidadão. Mais lamentável ainda quem quis se aproveitar do evento para levar algum tipo de vantagem. A torcida do Botafogo não é representada por racistas. Muito pelo contrário. É um clube que conseguiu fazer de diferenças seu ponto forte. Seu maior ídolo tinha as pernas tortas e foi humilhado em vários clubes antes de ter uma oportunidade de mostrar seu talento em General Severiano. Um dos seus maiores goleiros, Jéfferson, não pode ser considerado branco. Aliás, o Botafogo é preto e branco e de racista nada tem.



  • Etienes R

    Os que tentaram e ainda (até quarta) vão tentar se aproveitar do tema racismo as custas de quem sempre foi contra o mesmo, inclui-se: IMPRENSA Urubuzenta, mentecaptos ignorantes, e os eufóricos e Promotores do jogador V.Júnior.
    Vítimas do episódio? A familia do rapaz, o Botafogo e o BOM SENSO.

    • Peter

      Etienes é nome de costureiro.
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
      KKKK

    • Paulo Pinheiro

      O Botafogo foi vítima? Não enxergo assim. Certamente não foi o criminoso. Mas vítima não foi.

      • Etienes R

        Como disse anteriormente, o ato atingiu três agentes no episódio:1) EM GRAU MAIOR, a família do jogador que foi (à se provar) atingida pelo mais torpe dos crimes, que é o que atinge a DIGNIDADE .2) O Botafogo, vítima sim, porque injustamente teve sua IMAGEM violentamente ATACADA por pessoas insanas e maus profissionais da IMPRENSA, sendo que sempre foi um Clube que sempre zelou pela IGUALDADE e as suas próprias cores mostram isso. 3) por fim, vítima o BOM SENSO, porque o ato provou que estamos anos luz de ter uma SOCIDADE igual e que reconhece o valor do outro como IGUAL.Porque o que falam, é que até as pessoas da família do jogador não tiveram um comportanto tão ÉTICO assim… Logo, o BOM SENSO, foi aqui, uma a vítima maior.
        Bom, esta é a minha visão do caso, sem querer se dono da VERDADE, mas não abrindo mão de estar ao LADO DELA.

        • Paulo Pinheiro

          Ok. Você quis dizer vítima indireta.
          Concordo com todo o restante do que você falou.
          Não enxerguei como vítima justamente porque agiu de forma exemplar na identificação do criminoso e passou longe – ao meu ver – de se arriscar a sofrer prejuízo.
          Críticas haverão sempre. A qualquer time. Sempre tem uns “figuras” pra usar isso contra os outros. Mas isso não fala sobre o Botafogo. Fala sobre quem criticou.
          O importante é a parte que concordamos. A família e a sociedade como um todo foram ultrajadas ali.

  • JRJRJRJRJJRJRJRJRJRJRJ

    GLORIOSO VAI VENCER NA QUARTA. FOGÃO VENCE DE 1AZERO. GOL DE BRUNO SILVA. GLORIOSO CAMPEÃO DA LIBERTADORES DA AMÉRICA. ESSE ANO E DO GLORIOSO. FOGÃO NAS ALTURAS. MELHOR TIME DO BRASIL. FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO FOGOOOOO NÃO PODE PERDER PRA NINGUÉM.
    BOTAFOGO SUA ESTRELA SOLITÁRIA ME CONDUZ…

  • Paulo Pinheiro

    Sou flamenguista e também não concordaria com a eliminação do Botafogo por causa desse episódio de racismo, como também não concordei com a eliminação do Grêmio no caso Aranha.
    Racismo é crime previsto até na CF e deve ser punido como tal. Mas puna-se o culpado pelo crime, e não terceiros.
    Aliás, sempre fui contra punir o clube por atitudes de sua torcida, salvo seja verificada má-intenção do clube no caso (de alguma forma insuflando a torcida para tal).

    Embora o presidente do Botafogo e seus dirigentes tenham se comportado de forma amadora, acirrando uma rivalidade que virtualmente não existe, pressionando o árbitro da partida, deixando de garantir a segurança do adversário (o ônibus do clube foi atacado por animais vândalos na chegada ao estádio) e até impedindo a entrada da torcida adversária antes da partida (essa história dos portões fechados está MUITO mal contada), não é culpado pelo racismo de um indivíduo. Este deve pagar. O Botafogo não.

MaisRecentes

O torcedor do Botafogo ainda vai lembrar muito desta Libertadores



Continue Lendo

Aprendendo com o passado



Continue Lendo

Renato Gaúcho e as marcas que o tempo não apaga



Continue Lendo