As lições da vitória no Uruguai



A euforia pela conquista de um grande resultado contra o Nacional é válida. Principalmente porque o jogo da volta será apenas no mês que vem e até lá isso pode ser bem trabalhado. O importante, porém, é aprender com as lições do jogo. O Glorioso mais uma vez mostrou fora de casa um esquema defensivo sólido, bloqueando espaços e forçando o rival a tentar o tradicional chuveirinho. Boa parte das oportunidades uruguaias surgiram em erros individuais.

A principal lição no meu ver é que o time precisa melhorar do meio para frente. Em situações como essa, prender a bola na frente é muito importante. Roger, infelizmente, funciona como uma parede, onde a bola bate e volta para a defesa. Não era um jogo para ele e sim para um centroavante mais leve. O problema é que não existe essa opção no elenco e a diretoria precisa agir rapidamente.

Apesar do gol e de Jair ter o elogiado por ser “um 10 pisando na área”, João Paulo não pode ter sozinho a responsabilidade de criar. Ou então eu vi outro jogo. O treinador já perdeu a paciência com Camilo. É preciso um meia que faça aquilo que se esperava de Montillo e do próprio Camito. Se esse nome vai ser Leonardo Valencia, o tempo dirá.

Por fim fica o otimismo de ver a sequência ruim ser quebrada e justamente quando o Botafogo precisava vencer.



MaisRecentes

Valentim e o caminho errado



Continue Lendo

O desejo de priorizar o elenco passa por Carli



Continue Lendo

Jogador gosta de competição



Continue Lendo