A necessidade de não ser um time capenga



Jonas não vai enfrentar o Olimpia no Paraguai e Jair Ventura acena com Marcelo na lateral, formando a zaga com Emerson Silva e Joel Carli. Talvez seja o que restou, uma vez que Marcinho, além da juventude, tem mais virtudes ofensivas do que contendo os ataques rivais. Para o jogo desta quarta-feira é o que dá para fazer. Isso porque não existe mais tempo suficiente para mudar um esquema, o que poderia confundir os próprios jogadores. Mas pensando na frente, é um caso a se pensar.

Falo especificamente de um esquema com três zagueiros. Marcelo não pode mais perder espaço neste time, enquanto que Joel Carli é titular absoluto. Emerson Silva tem se mostrado confiável, independentemente do gol contra marcado no Chile, um acidente. Os três poderiam muito bem jogar juntos. Mas defendo isso por uma questão bem simples: Jonas já provou que não tem condições de ser titular do Botafogo. Apresenta sérias deficiências na leitura de jogo e sequer sabe ocupar seu espaço dentro de campo. Com ele o time fica capenga.

Marcinho, e posteriormente Luis Ricardo, e Víctor Luis são atletas que gostam de atacar, sendo bem eficientes no apoio. Com três zagueiros e Aírton preso na marcação, o que exigiria menos dele fisicamente, o Botafogo teria condições de liberar seus alas e de atacar e se defender com mais homens, tendo uma maior ocupação de espaço. Bruno Silva poderia ser o segundo volante, dando ritmo ao time. Camilo e Montillo formariam a dupla de criação, com um atacante isolado na frente, seja Pimpão, Roger ou Sassá. Quando Montillo ou Camilo não puderem jogar, Leandrinho ou dois atacantes resolveria a situação.

Jair Ventura vem tentando essa maior ocupação de espaço enchendo o Botafogo de volantes, que teriam a missão de cair pelos lados. O time até consegue atacar e se defender com muitos, porém, fica capenga e previsível. Se não cai pele esquerda, afunila pelo meio, pois na direita o Jonas nunca aparece para se apresentar ao ataque. Além disso, o jogador, longe de mim persegui-lo, decidiu jogar em uma faixa do campo entre a zaga e a lateral, o que torna sua utilidade questionável.

Volto a dizer que utilizar três zagueiros contra o Olimpia seria um risco pela falta de treinos, mas depois desse jogo o Botafogo ficará alguns dias parado. Isso porque a Taça Rio só começa na segunda semana de março, assim como a fase de grupos da Libertadores. Seria a hora certa de pensar em estudar novas táticas.



MaisRecentes

O desejo de priorizar o elenco passa por Carli



Continue Lendo

Jogador gosta de competição



Continue Lendo

Uma estreia que permite projetar um bom futuro



Continue Lendo