A importância de não repetir os erros de 2014



Tirando a perda de algumas peças que valeriam um maior esforço, como Sidão, estou gostando do que vem sendo falado em termos de Botafogo para a próxima temporada. Acredito que a atual gestão caminha para não cometer os erros que vimos Maurício Assumpção cometer em 2014, último ano em que o Glorioso disputou a Copa Libertadores. Naquela ocasião, o desmanche foi completo, com nomes importante sendo deixados de lado. Ele ainda deu um grande azar com a decisão de Seedorf de se aposentar e ir dirigir o Milan.

Mas aprender com o passado é importante. Manter a atual base, não tão valorizada quanto à de 2013, parece tarefa um pouco mais tranquila. Os dirigentes dão a certeza de que nomes importantes como Luis Ricardo, Joel Carli, Aírton e Camilo vão permanecer. A base é muito mais valorizada do que naquele período e hoje podemos recorrer a bons garotos, inclusive os que conquistaram o Brasileirão Sub-20.

Também não vejo na turma de Carlos Eduardo Pereira a pressa de contratar por contratar que vimos em 2014, quando fomos apresentados a peças como Zeballos, Tanque Ferreyra e outros menos votados. Os atuais reforços, como Gatito Fernández e Roger, por exemplo, indicam que poderão ajudar de alguma maneira.

A necessidade de algumas grandes contratações existem. Não falo no nome, mas sim na qualidade. Se Montillo realmente for seduzido pelo projeto botafoguense será uma grande aquisição. Jogador experiente, tem tudo para formar uma bela dupla de criação de jogadas com Camilo. Para isso é preciso um ataque de mais peso para municiar. Sassá, se ficar, vai ser muito útil pelo seu estilo de jogo. Porém, é preciso companhia e uma referência maior na frente.

Outra posição que preocupa é a lateral. Diogo Barbosa foi embora e dependendo do valor cogitado, o esforço talvez realmente não fosse tão justificado. Se conseguir manter Víctor Luís será importante, mas é preciso reposição. O mesmo vale para a direita, caso Alemão não permaneça para ser a sombra de Luís Ricardo.

Em relação ao gol. Não é bom dar sopa para o azar. Basta lembrar dos problemas que a posição nos causou até Jéfferson voltar em 2009. Gatito me parece perfeito para tomar conta do arco na ausência do capitão. Mas, com todo respeito a Helton Leite, não podemos correr riscos do paraguaio se machucar no meio da Libertadores. É preciso um nome confiável para a reserva.

Aos poucos o Botafogo vai se armando, se acertando e se a pegada for mantida, 2017 tem tudo para ser um bom ano.



  • Vinícius Camargo

    Comentário perfeito.
    Agora mesmo foi anunciado o projeto do Estádio Nilton Santos, que será todo alvinegro e é a posta para atrair também o sócio-torcedor.
    Fogão vem forte este ano, pode mandar limpar a sala, pq vem troféu por ai!!!

  • George

    Muito correta a análise. Sempre apoiei a condução da nova gestão, sem fazer loucuras e com pés no chão. Manter o time que conquistou vaga na Liberta é valoriza-los, só sai se quiser, é só ganhar dentro da realidade do Clube.
    A ótima gestão da Chapecoense é um exemplo, e um time aguerrido e sem grandes estrelas, sempre fizeram ótimos Brasileirões e conquistaram a América.

MaisRecentes

Opções a serem trabalhadas



Continue Lendo

Virou crime querer jogar em casa?



Continue Lendo

Jefferson e Gatito: tem espaço para os dois



Continue Lendo