A posição firme de Diogo Barbosa



Diogo Barbosa disse não ao Flamengo. Na entrevista coletiva desta segunda-feira descartou qualquer possibilidade de vestir a camisa do rival do Botafogo. Ganhou pontos com a torcida. Fez levantar o lado romântico tão esquecido pelos gramados brasileiros e que se tornou uma vaga lembrança no imaginário dos torcedores, independentemente do time. Mas atrás desse não se esconde uma situação que no meu entender se torna cada vez mais visível: o Botafogo não é mais a casa da sogra.

Willian Arão deve ter sido o último a aproveitar aquela fresta aberta. Levou com ele o resto de ingenuidade que a diretoria do Botafogo poderia ter. Deixou escancarado para Carlos Eduardo Pereira que o futebol e, principalmente, o Botafogo não são para principiantes.

Claro que em se tratando de dirigentes de futebol devemos esperar sempre algum ato que possa colocar qualquer análise na lata do lixo. Algo capaz de transformar meu texto em letra morta. Mas as notícias dão conta de que o Botafogo se antecipa. O próprio Diogo revelou que o clube se mexe pela sua permanência. Sidão está praticamente acertado. Emerson Silva e Luis Ricardo já renovaram. A grande maioria do elenco tem contrato em vigor. A base dá esperanças. Existe um planejamento para o uso do dinheiro da Caixa Econômica e os atletas se sentem valorizados. Isso sem falar que reforços estão sendo procurados e Roger já foi até contratado.

Com paciência o Botafogo vai montando seu time e deixando para trás o rastro de clube onde qualquer um chega e leva. Isso não combina mais com o Alvinegro e com sua gloriosa história.



  • Sem nome

    Um time que se retrata ao romantismo do futebol arte, que não haverá nunca mais, porém fica no ar um novo Botafogo que tem esperança de revelar novos craques ao futebol mundial, como sempre foi; u m time que com todos os defeitos dá gosto de vê-lo no palco do futebol mundial. Viva este time! sua estrela nunca se apagará.

MaisRecentes

O torcedor do Botafogo ainda vai lembrar muito desta Libertadores



Continue Lendo

Aprendendo com o passado



Continue Lendo

Renato Gaúcho e as marcas que o tempo não apaga



Continue Lendo