Vai de ponta, professor Batistão!



Alô, Turma da Fuzarca! Um antigo personagem da televisão brasileira pedia ao então técnico da Seleção, antes da Copa de 1982: “Bota ponta, Telê!”. Pois bem, a qualidade não é a mesma, mas a lógica, sim.

Nosso time não é o que sonhamos, nem estamos onde deveríamos, mas já que – por méritos – nossa equipe é organizada, por que não atuarmos com três atacantes? Seguramos, assim, os laterais adversários e nos colocamos mais próximos do gol, ó pá!

Não custa nada, professor Batistão! E até contra os pequenos times da Série B será importante. Tenho certeza de que, assim que puder, você vai escalar o time todo para a frente e, desta forma, vamos atropelar quem vier! Não vai ter arbitragem que nos segure! A todos as minhas saudações cruz-maltinas!



  • O Adilson Batista não um técnico ruim,mas tem escalado o Vasco de maneira equivocada e com posicionamento de alguns jogadores erradamente;também não dá para entender o porquer que não escala o SANTIAGO MONTOYA desde o início da partida;digo isso porque o jogador ja provou que é bom e quando entra deixa os adversários doidos.porque entorta mesmo,dibra com facilidade e para marcar ele o adversário tem que colocar 2 ou 3 jogadores o que deixa sempre um jogador do ataque do Vasco livre.

  • Caro Bob , o maior de todos os desfalques está na presidência , porém , mesmo com os desfalques no time , o empate contra o Coelho teve como pano de fundo , os fundamentos . Senão vejamos : finalizações equivocadas , erros de passes em profusão e posicionamento na defesa . Jogar em linha , a essa altura do campeonato ! É DOSE !
    O TREINADOR GRITA EM CAMPO E APONTA AS FALHAS GRITANTES E OS CARAS NÃO TÊM NOÇÃO DO QUE ESTÁ ACONTECENDO . BURRICE ! ?
    Humildade , se faz necessária aos nossos ” craques “, para treinar exaustivamente os fundamentos .
    Infelizmente não falta , só , colocar pontas !
    AVANTE VASCÃO !

MaisRecentes

Moisés fará a diferença por aqui



Continue Lendo

Faltará apenas melhorar o setor criativo



Continue Lendo

É só trazer os filhos para o Rio, Nenê!



Continue Lendo