O Patolino e o Migué Bastos



Caros tricolores, tricampeões mundiais, não sei de quem eu sinto mais pena: do Lorde Osorio, um gênio em meio a parvos, ou do Patolino, que cada vez mais põe a cara a tapa.

Jogo fácil, gol do Pato. Jogo difícil, gol do Pato. Soberano ganha, gol do Pato. Vexame no Sacrossanto, gol do Pato. Entrevista coletiva, gol do Pato. Namorada global, gol do Pato.

Enquanto isso, há um cidadão vagando pelo meio de campo que está de brincadeira. Conhecem um tal de Migué Bastos? É o mesmo que salvava nossa pele até pouco tempo, mas agora ele prefere ser birrento igual uma criança.

Parece que ele é o dono da bola e não quer mais brincar, a não ser que jogue na ponta direita. Pena isso acontecer justo com um cara que tinha potencial para terminar o ano como nosso craque ao lado, é claro, do Patolino.



MaisRecentes

Brainstorm* de apelidos para o Mito treinador



Continue Lendo

Não tirem a educação física das escolas!



Continue Lendo

É o Clube da Fé: Vamos São Paulo, carajo!



Continue Lendo