Rivais, realmente é duro torcer para time pequeno



Caros tricolores, tricampeões mundiais, o que vocês acharam desse nosso tour pela parte de baixo da tabela? Viram como já sofreram tanto nossos amigos Massimo Divino e Tião Fiel? É, meus queridos, não é nada fácil essa vida de torcer para time pequeno, já dizia o Doquinha Gonzaga, do time do litoral.

Mas já deu, né? Acabou a brincadeira, vamos ao que interessa. Já tem rival assustado, lembrando de sexta-feira 13, Jason, olhando o MAIOR DE TODOS no retrovisor. TIME GRANDE NÃO CAI!

Quarta-feira a vitória é obrigação até mesmo para devolver a maracutaia que fizeram na Libertadores. Vamos armar uma ARAPUCA e fritar o Galinho.



  • O MESTRE

    Time grande não cai! E isso ficou mais evidente à partir de hoje! Chupa inveja!!!

  • ZAKA TRICOLOR

    Já encomendei um galeto pra assistir o jogo de quarta!!!!! rsrsrsrsrsrs

    Não sei porque, mas como tem gente assustada hoje…

    Até com medo de dar opinião!!!!!!!!!!!!

    hahahahahahahahahahaha

  • Henrique

    Cadê a travecada aqui hoje ???? Semana passada não saíam daqui !!! Tomaram do Goiás no estádio que jogam de favor e o Tricolor começou a reação !!!
    CALMA SECADORES, O MURICY CHEGOU !!!

  • SIMÕES

    Aos Corinthianos que tanto nos gozaram, um recado : O São Paulo começou a grande escalada, saiam da frente que estamos subindo.A diferença é de apenas 06 pontos(02 vitórias) entre os clubes, ou seja, mais umas duas semanas e trocaremos de lugar com as ” Gazelas da marginal”.
    Brincaram com o tricolor ? Agora aguentem as gozações…..kkkkkkkkkk

  • lukas justus

    QUEM TE VIU E QUEM TE VÊ ? AOS TRANCOS E BARRANCOS A BICHARADA TÁ AINDA SONHANDO COM A ELITE EM 2014. SAL GROSSO, BODE COM VELA PRETA, OFERTAS A POMBA GIRA …KKKKKKKKKKK…QUERO VER SE A MACUMBAIADA VAI SERVIR QUANDO COMEÇAR A PEGAR AS PEDREIRAS> PONTE, FLU, NÁUTICO, VASCO SÃO TUDO CANDIDATOS AO REBAIXAMENTO IGUAL AO TIME DE BALLET DO JARDIM LEONOR….

  • wagner ferreira dos santos

    calma tricolores futebol e foda as vezes a euforia toma conta mas e clarao que o Muricy esta arrumando o time ate que enfim o Juvenal fez uma trazendo o Muricy devolta

  • SANFONEIRO DE ZONA

    ESSA EUFORIA E IGUAL A SOLUÇO…QUARTA FEIRA,AS COISAS VOLTAM AO NORMAL…AI VAMOS VER O MURIÇOCA DAR PATADAS EM TODOS,COMO E NORMAL

  • tricolor

    Ao São Paulo FC só faltam 6 vitórias e três empates totalizando 21 pontos que somados aos 24, atinge os 45 pontos necessários para escapar da segundona ! Acho que vai dar !!!

  • corintiano fanático

    Alô Lukas Justus. Você como bom traveco já fez caridade hoje? Já deu a bundinha?

  • AÊ CAGÃO DO BLOGGGG…….. LUIZ HUMBERTO BAIACÚ DO PÉ RACHADO

    PUTAIADA REUNINADASSSSSSSSSSSSSSSSSSS…….

    TRAMPAM LA NO PUTEIRO ESTRELADOMAR,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,KKKKKKKKKKKKKKK

    Luiz Humberto disse:
    16 de agosto de 2013 às 22:30
    QUE BELA COINCIDÊNCIA! ELOIZA MARIA ISABEL CAMPOS DE SAMPAIO, VEREMOS:
    1-ELOIZA, NOME DA MINHA VÓ MATERNA.
    2-MARIA, NOME DA MINHA AVÓ PATERNA.
    3-ISABEL, NOME DA MINHA ESPOSA.
    4-CAMPOS, MEU SOBRENOME.
    SÓ NÃO COINCIDIU, FOI O SOBRENOME SAMPAIO!!!
    PARABÉNS, GRANDE TORCEDORA DO MEU SANTÁSTICO!!!

  • SAULO

    Não concordo que “time grande não cai”. Afinal de contas, PONTE PRETA E GUARANI já caíram, não é?

  • Luiz Humberto

    SE TU TENS AQUELE AMIGO CÚr11nt23ÁNUS QUE ESTÁ TE DEVENDO UMA GRANA E SUMIU DA ÁREA, SÓ PRA NÃO TE PAGAR, SEUS PROBLEMAS ACABARAM!!! BASTA GRITAR: MEU TIME É TETRA CAMPEÃO MUNDIAL!!!
    AGUARDE 2 MINUTOS, ELE PODE ESTAR ATÉ DEBAIXO DA TERRA, QUE MESMO ASSIM VAI APARECER RAPIDINHO SÓ PRA DIZER:
    MENTIRA, LIGA NA FIFA!

  • Cativeiro

    A polêmica é antiga, atiçada pelo clubismo cego e pela falta de memória do brasileiro. Foi reavivada por uma matéria da Folha de S. Paulo (para assinantes) da quarta-feira, 21 de janeiro de 2009, que questionava uma frase do guia oficial do Campeonato Paulista, publicado esta semana pela Federação Paulista de Futebol (FPF). “O São Paulo cumpriu uma campanha ruim, não se classificou nem na repescagem e foi rebaixado para a segunda divisão.”

    “FPF rebaixa o clube e ‘suja’ título de 91”, escreveu a Folha. Diante da indignação dos são-paulinos, a FPF recuou e divulgou nota oficial dizendo que o texto de seu próprio guia “não procede”. Culpou pelas informações o historiador Rodolfo Kussarev, que por sua vez culpou o livro A História do Campeonato Paulista (Publifolha, 1997), escrito pelo autor destas linhas e por Valmir Storti, à época repórteres da própria Folha de S. Paulo.

    Procurado pelo autor da matéria, o repórter da Folha e comentarista da ESPN Brasil Rodrigo Bueno, às 18h daquele mesmo dia 21, consultei meu colega Valmir, hoje repórter freelance, e enviamos à Folha a seguinte declaração em comum.

    “O livro foi escrito com base nas informações publicadas nos jornais da época, entre eles a própria Folha, onde os dois autores trabalhavam como repórteres em 1997, ano do lançamento do livro. Para esclarecer de vez a polêmica do rebaixamento ou não do São Paulo, sugerimos que a Folha reproduza o que ela mesma publicou em sua edição de 20 de junho de 1990.”

    Infelizmente a Folha só publicou a primeira parte de nossa declaração. Não acatou nossa sugestão: reproduzir o que ela mesma publicou em sua edição de 20 de junho de 1990.

    Se o tivesse feito, seria obrigada a reconhecer: o guia da Federação Paulista estava certo. O São Paulo caiu, sim. De forma insofismável.

    Por mais que desagrade os são-paulinos, a verdade é a que segue:

    Em 1990, o Campeonato Paulista foi disputado por 24 times. Havia a percepção de que eram times demais. Convencionou-se, então, que apenas 14 times disputariam o campeonato de 1991 – os 14 primeiros do certame de 1990. De alguma forma, o São Paulo “conseguiu” ficar em 15º, depois de ser eliminado na primeira fase (que classificou 12 times) e novamente eliminado numa repescagem (que classificou outros dois, completando 14). Para não melindrar susceptibilidades, o regulamento de 1990 dizia que “não haveria descenso”. Era só uma fórmula de cortesia: os times que não entrassem entre os 14 disputariam o que, na prática, equivaleria a uma segunda divisão.

    Esse regulamento não foi cumprido. Diante do rebaixamento do São Paulo, houve uma virada de mesa. Os times rebaixados em 1990 (não só o São Paulo, mas outros importantes, como a Ponte Preta) ganharam o direito de lutar por três vagas nas finais. Foi assim que o São Paulo conseguiu a façanha, inédita no futebol mundial, de ser rebaixado em um ano e campeão no ano seguinte!

    O argumento dos são-paulinos, portanto – de que o acesso no mesmo ano “já estava previsto” – é falso e errôneo.

    Para não prolongar a explicação, reproduzo o texto da Folha de S. Paulo de 21 de junho de 1990 – dia seguinte ao dia em que o São Paulo caiu.

    “SÃO PAULO VAI DISPUTAR A SEGUNDA DIVISÃO EM 91

    Fernando Santos
    Da Reportagem Local

    O São Paulo foi eliminado pelo Botafogo na repescagem do Campeonato Paulista deste ano e vai disputar a Segunda Divisão em 91. O São Paulo goleou ontem o Noroeste por 6 a 1 no Morumbi, mas ainda dependia da derrota do Botafogo para se classificar. O time de Ribeirão Preto empatou em 0 a 0 com a Internacional em Limeira.

    No próximo ano, o São Paulo vai disputar a série B do Campeonato Paulista, sem direito a lutar pelo título. É uma nova fórmula aprovada pelo conselho arbitral de clubes em janeiro. Farão parte dessa série os 10 clubes eliminados do campeonato deste ano mais quatro que vão subir da Divisão Especial.

    (…) Resta ao São Paulo a chance de subir para a série A em 92. Apenas o campeão da série B sobe (…) Esta fórmula foi aprovada por unanimidade por todos os 24 clubes que iniciaram o campeonato este ano, segundo o presidente em exercício da Federação Paulista de Futebol, Antoine Gebran.

    ‘Vamos cumprir a lei. Lei é lei’, disse o diretor-adjunto do São Paulo, Herman Koester (…) Segundo ele, o São Paulo vai mesmo disputar a Série B, uma Segunda Divisão que só não recebe essa denominação por uma questão de nomenclatura jurídica. (…) Já o diretor de futebol Fernando Casal de Rey, 47, ainda não se deu por vencido. Ele disse que vai acionar o departamento jurídico do clube para saber se a aprovação da fórmula do campeonato de 91 é legal. Casal de Rey disse, sem ter certeza, que não existe um documento assinado pelos clubes sobre o assunto. Assim, ele poderia recorrer à Justiça Desportiva para mudar a fórmula. Ou seja, apelar para o tapetão. ‘Estamos vivendo um pesadelo’, disse Casal de Rey.”

    O resto é história conhecida. Houve a virada de mesa e, embora o São Paulo tenha disputado o equivalente à segunda divisão em 91, classificou-se para as finais, eliminando o Palmeiras, que vinha do grupo mais forte.

    A Folha também ouviu, naquela ocasião, são-paulinos ilustres, como José Victor Oliva, o vocalista do Ultraje a Rigor, Roger, e o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Almir Pazzianotto. Todos reconheciam o rebaixamento, repudiavam a virada de mesa e reafirmavam que o São Paulo voltaria à primeira divisão na bola.

    Estes são os fatos.

    P.S.: Como o clubismo costuma influenciar a opinião até dos jornalistas que discutem polêmicas futebolísticas, cumpre informar o time de coração do autor deste texto. Ele é vascaíno. E promete que daqui a 20 anos não dirá que o clube dele não caiu.

    P.S. 2: Vários comentários de são-paulinos, abaixo, usam cinco argumentos básicos para sustentar que o São Paulo não foi rebaixado. São eles os seguintes:

    1 – Um item do regulamento de 1990 dizia que não haveria descenso.
    É verdade, mas esse item tem sido mal interpretado pelos defensores do “não caiu”. Um famoso vídeo que circula na internet mostra o comentarista Paulo Vinicius Coelho, da ESPN Brasil e da Folha de S. Paulo, exibindo no programa de TV “Loucos por Futebol” esse item do regulamento como suposta prova do não-rebaixamento.

    PVC é um jornalista extraordinário. Primus inter pares, é o melhor repórter esportivo do país. Sei disso porque tive a honra de ser chefe dele em duas redações, do Lance e da Placar. Mas nesse caso, data vênia, ele está equivocado. O famigerado item do regulamento que ele cita, na verdade, se referia ao acesso e descenso entre a Primeira Divisão (dividida em 1990 entre um Grupo I, mais forte, e um Grupo II, mais fraco) e o que era chamado de “Divisão Especial” (na verdade a segunda divisão). Tratava-se de uma chicana jurídica. A CBF só permitia clubes de Primeira Divisão no Campeonato Brasileiro. O artifício encontrado para contornar o risco de, por acidente, eliminar um grande clube paulista do Brasileiro, foi batizar a primeira e a segunda divisões como “primeira divisão”. Por muito tempo no Campeonato Paulista as séries A-1, A-2 e A-3 foram chamadas oficialmente de “primeira divisão”, embora todos soubessem tratar-se da primeira, da segunda e da terceira divisões. Portanto, o “não haverá descenso” era só um truque, uma formalidade.

    Porém, o regulamento de 1990 não previa cruzamento entre o Grupo II e o Grupo I em 1991 para determinar o campeão paulista. Pelo contrário, o conselho arbitral decidira que apenas os 14 primeiros colocados de 1990 disputariam o título de 1991. A alteração foi feita depois, para dar uma chance ao São Paulo.

    2 – Seria impossível “um torneio com um número tão grande de rebaixados”.
    Por quê? Onde está escrito que um torneio não pode ter dez rebaixados? Na Bíblia? Se a Federação Paulista queria reduzir o número de clubes de 24 para 14, em um único ano, não haveria outra maneira a não ser rebaixando dez clubes. Foi o que ocorreu – até a virada de mesa. No fim das contas, o campeonato de 1991 acabou tendo 28 clubes, os 14 do Grupo Verde (dos quais cinco passavam às finais) e os 14 do Grupo Amarelo (dos quais três passavam às finais).

    3 – Isso não passa de uma tentativa de denegrir o São Paulo.
    O São Paulo é um clube glorioso. Hoje é sem dúvida o mais poderoso do Brasil. Ninguém, por mais que quisesse, conseguiria manchar sua imagem e sua história. Isso não dá a ninguém o direito de reescrever a história. Não há nenhuma vergonha em ter caído. Os próprios são-paulinos de 1990 o reconheceram dignamente. Não há mal nenhum em que os são-paulinos de 2009 também o façam, não?

    4 – A reportagem da Folha de 1990 está errada.
    Como poderia estar errada, se naquele dia os próprios dirigentes do São Paulo reconheciam que o time tinha sido rebaixado?

    5 – O autor da matéria é incompetente, não checa suas informações, deve ser um gambá enrustido ou, pior, vascaíno recalcado.
    Reconheço meus defeitos, sobretudo o de ser vascaíno, mas é preciso que os são-paulinos julguem os fatos pelo que são. A competência do autor sempre pode ser discutida. Os fatos que a matéria descreve, não.

    E DUAS FALÊNCIAS, É DE TIME GRANDE ????

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    VAI CORINTHIANS !!!!!

  • E AI BAMBINAIADA DOS INFERNOS,,,,,,,

    CAMBADA DE FELIXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX……………….KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    VAI TIMÃO!!!!!!!!!!!PODEROSO

  • corintiano fanático

    Alô Robinho. encontrei você desfilando na parada gay de mini saia. Não queira mudar o foco chamando saopaulino de bambi. Você como bom traveco deve mudar o foco.

    • tricolor

      Na Parada Gay a maioria é corinthiana com certeza. Vai conferir na próxima parada.

  • corintiano fanático

    Cativeiro. tenho pena de você. Até pelo seu nome, você deve ser um cara muito frustrado. Perder tanto tempo com coisas tão insignificantes. Se o São Paulo foi rebaixado ou não, por acaso muda alguma coisa? Vai estudar meu filho, pra ser alguém na vida. Você tem uma grande virtude. é corintiano portanto TRAVECO como eu.

    • Cativeiro

      Estudar ?? tenho certeza q tenho muito mais cultura q vc.
      Frustado ?? não sou eu q usa o nick de “corintiano fanático” para falar merda do Corinthians.

      Vc pelo menos leu o PH escreveu ??? Não ??? então lê e vem debater comigo se tem diferença ou não !!!

      Bi-Falidos do Futebol Mundial !!!! Parabéns Bicharada !!!!!

      VAI CORINTHIANS !!!!

  • FALA AI CORINTIANO FANÁTICO!!!

    VC É O FÉLIX DO BLOGG…………KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    TO MANDANDO UM FORTE ABRAÇO POR TRAZ DA SUA MÃE AI… DIZ P/ ELA QUE EU NUNCA A ESQUECI…….E QUE NA ULTIMA VEZ, EU DEIXEI O DINHEIRO EM CIMA DA GELADEIRAAAA..

    VAI CORINTHIANS!!

    BAMBINAIADA DOS INFERNOS…CHUPADORES DE SACOOOOOOOOOOOOOO

  • SAULO

    É MILKSHEIK! É MILKSHEIK! É MILKSHEIK!

    Vai um SELINHO aí?

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Cativeiro

    Novamente atolado em dívidas, fundiu-se ao C. A. Estudantes da Mooca em 1938, salvando-se de nova falência. O novo time titular foi composto com 9 atletas do Estudantes e 2 do São Paulo, que passou a mandar seus jogos na Mooca, sede do Estudantes.
    Para “ajudar” financeiramente o São Paulo, Palestra e Corinthians disputaram, em 1938, o famoso “Jogo das Barricas”, assim chamado por causa das barricas colocadas na entrada do Palestra Itália para o povo depositar dinheiro. Os dois clubes nada receberam e ainda doaram a renda para ajudar o São Paulo a pagar suas novas dívidas. Neste “Jogo das Barricas”, Porfírio da Paz, Presidente do São Paulo, andou no meio das torcidas adversárias com uma bandeira esticada, para que os torcedores atirassem algumas moedas para ajudar o São Paulo.
    .

    .

    Num gesto humanitário do qual se arrependeriam pelos próximos 72 anos (*), Palestra Italia e SCCP (juntamente com a Portugueza de Esportes) decidiram, em 03 de Julho de 1938, tentar salvar o clube dos bacanas de sua segunda falência em 3 anos e possibilitaram, assim, que Madame pudesse sobreviver no mundo do calcio longe da proteção dos quatrocentões do Club Paulistano.

    Também foram só mais 3 anos para que recebessemos a paga, na primeira demonstração do caráter distorcido e predatório que hoje todos conhecemos bem:

    Na sede rivale, uma intervenção militar catapultou à presidência do clube alvinegro um milico são-paulino, e foi custoso tirá-lo de lá.

    Um ano a mais, e foi a vez de nossos bravos ascendentes Palestrinos se verem obrigados a defender, apenas com sua coragem, o patrimônio do Palestra Italia e nossa camisa, pois até nosso estádio aquela escória tentou levar na mão grande.

    Assim agradeceram a esmola que demos para Porfírio da Paz.

    Mais 2 anos se passaram, no entanto, e a Deutsch Sportive não teve a mesma sorte… viu seu campo ser roubado e sua sede ser fechada sob o pretexto do ‘fascismo que dominava as instituições’ governadas pelos filhos dos países que formavam o Eixo.

    Enfim, é toda a história que já contamos detalhadamente aqui.

    Logo, através de acordos escusos e decretos obscuros assinados à sombra da ditadura, o time da opressão conseguiu roubar terreno e material suficientes para construir seu próprio estádio, bem longe dos olhos do povo; enquanto isso, ano após ano, o novo Palmeiras e o sempre SCCP foram tendo seus terrenos fatiados aos poucos, cedendo espaço para a construção da Av. Sumaré e Av. Antarctica (pelos lados Verdes), ou perdendo sua área para as marginais do rio Tietê, no caso dos alvinegros.

    Até que chegamos onde chegamos, em 2010, sem que esses fatos jamais tivessem sido devidamente revelados por uma imprensa corrompida – que nasceu com os barões do café e fortaleceu suas empresas sob a mão de ferro dos generais.

    BI-REBAIXADO !!!!!! SÓ A BIXARADA DO JD. LEONOR !!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    TIME GRADE NÃO DECRETA FALÊNCIA !!!!!!!!!

    VAI CORINTHIANS !!!!!!

  • Cativeiro

    Novamente atolado em dívidas, fundiu-se ao C. A. Estudantes da Mooca em 1938, salvando-se de nova falência. O novo time titular foi composto com 9 atletas do Estudantes e 2 do São Paulo, que passou a mandar seus jogos na Mooca, sede do Estudantes.
    Para “ajudar” financeiramente o São Paulo, Palestra e Corinthians disputaram, em 1938, o famoso “Jogo das Barricas”, assim chamado por causa das barricas colocadas na entrada do Palestra Itália para o povo depositar dinheiro. Os dois clubes nada receberam e ainda doaram a renda para ajudar o São Paulo a pagar suas novas dívidas. Neste “Jogo das Barricas”, Porfírio da Paz, Presidente do São Paulo, andou no meio das torcidas adversárias com uma bandeira esticada, para que os torcedores atirassem algumas moedas para ajudar o São Paulo.
    .

    .

    Num gesto humanitário do qual se arrependeriam pelos próximos 72 anos (*), Palestra Italia e SCCP (juntamente com a Portugueza de Esportes) decidiram, em 03 de Julho de 1938, tentar salvar o clube dos bacanas de sua segunda falência em 3 anos e possibilitaram, assim, que Madame pudesse sobreviver no mundo do calcio longe da proteção dos quatrocentões do Club Paulistano.

    Também foram só mais 3 anos para que recebessemos a paga, na primeira demonstração do caráter distorcido e predatório que hoje todos conhecemos bem:

    Na sede rivale, uma intervenção militar catapultou à presidência do clube alvinegro um milico são-paulino, e foi custoso tirá-lo de lá.

    Um ano a mais, e foi a vez de nossos bravos ascendentes Palestrinos se verem obrigados a defender, apenas com sua coragem, o patrimônio do Palestra Italia e nossa camisa, pois até nosso estádio aquela escória tentou levar na mão grande.

    Assim agradeceram a esmola que demos para Porfírio da Paz.

    Mais 2 anos se passaram, no entanto, e a Deutsch Sportive não teve a mesma sorte… viu seu campo ser roubado e sua sede ser fechada sob o pretexto do ‘fascismo que dominava as instituições’ governadas pelos filhos dos países que formavam o Eixo.

    Enfim, é toda a história que já contamos detalhadamente aqui.

    Logo, através de acordos escusos e decretos obscuros assinados à sombra da ditadura, o time da opressão conseguiu roubar terreno e material suficientes para construir seu próprio estádio, bem longe dos olhos do povo; enquanto isso, ano após ano, o novo Palmeiras e o sempre SCCP foram tendo seus terrenos fatiados aos poucos, cedendo espaço para a construção da Av. Sumaré e Av. Antarctica (pelos lados Verdes), ou perdendo sua área para as marginais do rio Tietê, no caso dos alvinegros.

    Até que chegamos onde chegamos, em 2010, sem que esses fatos jamais tivessem sido devidamente revelados por uma imprensa corrompida – que nasceu com os barões do café e fortaleceu suas empresas sob a mão de ferro dos generais.

    BI-REBAIXADO !!!!!! SÓ A BIXARADA DO JD. LEONOR !!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    TIME GRANDE NÃO DECRETA FALÊNCIA !!!!!!!!!

    VAI CORINTHIANS !!!!!!

  • Cativeiro

    TIME GRANDE NÃO DECRETA FALÊNCIA !!!!!

    VAI CORINTHIANS !!!!!

  • Luiz Humberto

    ESTE É CONTROL C + CONTROL V

    E A ROUBALHEIRA NÃO PARA!!!!

    O Ministério Público Federal – MPF – requisitou nesta terça-feira junto à Arena Itaquera S/A, empresa responsável pelo estádio do Corinthians e ao Banco Nacional de Desenvolvimento – BNDES – o fim do sigilo bancário da Arena Itaquera S/A. O pedido foi feito depois de a Caixa Econômica Federal se negar a dar informações sobre o financiamento da obra.

    Depois de ter problemas para apresentar garantias e receber por meio do Banco do Brasil R$ 400 milhões em empréstimo do BNDES, Corinthians e Odebrecht, empreiteira que toca o projeto do estádio, anunciaram que chegaram a um acordo para obter a verba pela Caixa.

    Segundo o MPF, no entanto, a Caixa alega que não foi assinado nenhum contrato de operação de crédito para viabilizar o repasse do empréstimo do BNDES. O MPF também questiona essa informação.

    O MPF comunicou que “caso a Caixa e a Arena Itaquera S/A continuem se negando a prestar as informações, contrariando a ordem jurídica, o MPF adotará as providências judiciais e extrajudiciais cabíveis”, podendo entrar na Justiça Federal contra as duas empresas.

    Além dos R$ 400 milhões do BNDES, Corinthians e Odebrecht contam com mais R$ 400 milhões em Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento, espécie de títulos de isenção da prefeitura de São Paulo, para financiar o estádio.

MaisRecentes

Brainstorm* de apelidos para o Mito treinador



Continue Lendo

Não tirem a educação física das escolas!



Continue Lendo

É o Clube da Fé: Vamos São Paulo, carajo!



Continue Lendo