Será histórico, como 15/12/2002



Santistas da nova e da velha geração, quase dez anos já se passaram e o dia 15 de dezembro de 2002 continua a ser o mais importante da minha vida. Quando vencemos o Peñarol, achei que a emoção de conquistar uma Libertadores seria a maior de todas. Chorei, vibrei e me arrepio até hoje só de lembrar. Mas, nem mesmo chegar ao topo da América conseguiu ser mais prazeroso do que ver Robinho pedalar, Elano marcar e Léo explodir o Panetone…

Digo isso, rapazeada, porque tenho certeza que o jogo de hoje e o da próxima quarta-feira jamais sairão de nossas memórias. Você, amigo santista, não esquecerá o dia em que Neymar chegou próximo de Pelé, em que a Vila Belmiro pulsou como nunca antes, em que o mundo se transformou em um grande mar branco, em que a técnica e a disciplina prevaleceram, em que fizemos o trabalho sujo… O dia em que O BEM VENCEU O MAL!

Alguns secadores dizem que ando de nariz empinado…Não, não, brother, isso é coisa de alegre da Vila Sônia. Não é arrogância, é confiança. Acredito nos nossos 11 guerreiros, no alçapão, na força da nossa camisa…O Santos já me decepcionou, mas o timinho jamais!

Hoje é dia de ousar como Neymito, marcar como Cão de Guarda Pagode, pensar como Maestro Ganso, correr como Monstro Arouca e ser frio como o Paredão Rafael.

Não há melhor lugar do mundo para estar hoje a noite do que a Vila Belmiro. Se você, assim como eu, é um dos sortudos que conseguiu ingresso, cante os 105 minutos, apoie o Glorioso e, acima de tudo, acredite que o maior time da Terra, o único a parar uma guerra, honrará sua história e manterá a freguesia.

Pelos shows de Pelé, pelos gols de Chulapa, pelas pedaladas de Robinho, eu te peço Peixão, jogai por toda a nação santástica essa noite!



MaisRecentes

Sai pela porta da frente, GabiShow!



Continue Lendo

Vou contar o fim do filme pra vocês, lekada



Continue Lendo

Era melhor ter ficado no busão



Continue Lendo