Derrota na hora certa e o campeão



Tricolores do Céu e da Terra, o que os idiotas da objetividade jamais compreenderão é a capacidade de enxergar além da caverna de mediocridade na qual estão aprisionados por toda a eternidade. Mais do que uma derrota, perder por 3 a 0 para o Botafogo neste domingo foi um tropeço fundamental. Como assim? Eles ainda me perguntam. Uma equipe campeã não é forjada apenas com grandes triunfos mas, sobretudo, nos tropeços que compreende e supera. Acredito que foi a derrota que servirá para o Fluminense baixar a bola e entrar com seriedade em todos os jogos daqui por diante. Sabem aquele clichê? Perdemos quando podíamos perder? Esta sim é a obviedade ululante que faz algum sentido neste momento.

No mais, eis que surge o roteirista, aquele sádico dramaturgo que está no céu. Iludiu-me com a visão de uma vitória acachapante. Não entendi seus planos e cravei nesta coluna que venceríamos de oito. Errei, perdemos de três, mas longo entendi a realidade e os planos do além. E muito além da derrota estão os títulos. É só esperar para alcançar.



MaisRecentes

‘Flu-Europa? Meu projeto é Flu-América!’



Continue Lendo

Me deixa sonhar com o penta!



Continue Lendo

22 anos depois: mesma emoção, mesmo desfecho!



Continue Lendo