Menor é impossível



Tricolores do Céu e da Terra! Existe algo menor do que o Botafogo? Acho que não. Como pode esse clube ou seja lá o que for querer se comparar ao Fluminense, tricampeão brasileiro, 31 vezes campeão carioca, campeão da Copa do Brasil… É digno de pena! Não tem como respeitar.

O Botafogo é campeão sim, campeão do chororô, campeão de fazer seus torcedores sofrer e campeão em dar vexames internacionais – isto é, quando eles conseguem usar o passaporte cheio de teia de aranha. E a torcida? Ela existe? Outro dia meu filho perguntou se o uniforme do Chorafogo era azul, porque só tinha gente de azul no Engenhão. Respondi que essa é a cor das cadeiras de lá, as únicas que realmente torcem para time pequeno.

Enfim, acho uma perda de tempo ficar falando de um time que não ganha nada. Qual a graça de disputar campeonatos e só fazer figuração? Que torcedor em sã consciência continua seguindo esse time?

Botafogo, Botafogo…. Nada pode ser menor. Sempre ouvi isso. O maior título deles é o Brasileiro roubado, não é isso? Ah, mas o Botafogo teve Garrincha, Nilton Santos, Jairzinho… E ganharam o quê? No fundo eu fico triste, porque eles se consideram nossos rivais.

Costumo ouvir do meu amigo Nilton Severiano que temos que pagar a Série B. Só que ele não consegue me explicar essa sua insanidade. Que Série B? Fomos campeões brasileiros de 2010. Clube grande é assim mesmo, caro Nilton. É sempre bom lembrar que a história do futebol brasileiro está diretamente ligada à do Fluminense. Que o Fluminense é sempre protagonista e entra nos campeonatos para ganhar, e não para fazer figuração. Enxuguem as lágrimas!

Botafogo, Botafogo… Nada pode ser menor. Não me canso de repetir. Ao América, Bangu, Olaria e São Cristóvão, meu respeito. Ao Foguinho, condolências.

Dizem que o melhor plano de saúde é viver e o segundo melhor é torcer para o Fluminense. Nilton Severiano, venha ser feliz você também. Afinal, nada pode ser menor… Ahhh, você já sabe!



MaisRecentes

‘Flu-Europa? Meu projeto é Flu-América!’



Continue Lendo

Me deixa sonhar com o penta!



Continue Lendo

22 anos depois: mesma emoção, mesmo desfecho!



Continue Lendo