Descumprimento de acordo judicial pode retirar o Vasco de Ato Trabalhista



 

Alexandre Campello, presidente do Vasco, tem enfrentado problemas financeiros à frente do clube. Crédito: LANCE!

Com David Nascimento

As pendências trabalhistas formam boa parte das dívidas do Vasco, que está incluído no programa denominado Ato Trabalhista, que alivia o endividamento. Entretanto, a falta de cumprimento de um acordo judicial, pode fazer com que o clube seja excluído.

O juiz Marcelo José Duarte Raffaele, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, em ação de uma ex-funcionária do clube, determinou o prazo de 15 dias, desde 5 de junho, para que sejam pagos R$ 7.962,50 à autora, sob pena de cancelamento no acordo.

No despacho do juiz Marcelo José Duarte Raffaele, do TRT, há a informação de que o clube descumpriu, por duas vezes, o acordo com a ex-funcionária. Na decisão judicial, o magistrado determina oficiar a CAEX (Central de Apoio à Execução) em caso de não pagamento dos valores devidos, e o devido cancelamento da inscrição do clube no plano de centralização. E nesse caso, o Vasco perderia os prazos e benefícios do programa, sendo obrigado a saldar as suas dívidas em pouco tempo.

Rogério Peres, vice-presidente jurídico do Vasco, explicou que o clube está ciente da questão “Estamos realizando todos os esforços, visando regularizar todos os acordos”, afirmou Peres.

Confira abaixo a decisão judicial:



MaisRecentes

Cancelamento de reunião que poderia punir Roberto Monteiro gera críticas a Campello



Continue Lendo

Entidade de administração promove evento sobre gestão esportiva



Continue Lendo

Evento em Paris vai debater questão do clube-empresa no futebol brasileiro



Continue Lendo