Dentista explica que assimetria facial pode deixar atletas sujeitos a lesões



O dentista Rodrigo Albuquerque tem estudado a assimetria facial e as suas consequências no esporte. Crédito: Divulgação

Odontólogo, o doutor Rodrigo Albuquerque, membro da Academia Brasileira de Ortopedia Funcional dos Maxilares (ABOFM), tem realizado estudos onde relacionam assimetria facial a uma série de lesões em atletas. O especialista entende que, baseado na evolução das pesquisas científicas, jogadores como o goleiro Cássio, do Corinthians, e o atacante Pedro, estão mais sujeitos a ter problemas devido ao desequilíbrio corporal evidenciado pela assimetria da estrutura mandibular.

Rodrigo Albuquerque acredita que esse tipo de tratamento complementar estará presente nos esporte nos próximos anos.A medicina evoluiu muito no esporte nas últimas décadas, principalmente a preventiva. É nesse rumo que o doutro Rodrigo Albuquerque espera que as instituições esportivas atentem para a importância do estudo da “posturologia clinica aplicada a odontologia”.

Essa linha de estudos trabalha a odontologia de forma mais ampla, analisando os efeitos da estrutura mandibular, em relação a cabeça e a coluna vertebral, que tem reflexos em todo o organismo. “Quero deixar claro que não conheço os atletas Pedro e Cássio. Eles estão sendo acompanhados por profissionais capacitados e desconheço o histórico médico deles. A lembrança de seus nomes somente se dá por serem jogadores conhecidos e que possuem essa assimetria facial”, explicou Rodrigo Albuquerque. Ainda segundo o especialista, o ideal é que o trabalho comece nas categorias de base, evitando que os atletas cheguem ao profissional com problemas de desequilíbrio físico.



MaisRecentes

Arena da Baixada recebe evento com forças da segurança pública do Paraná



Continue Lendo

Justiça determina que eleição no Volta Redonda tenha urna para sócios ‘sub judice’



Continue Lendo

Sucesso na temporada faz Fortaleza crescer nas redes sociais



Continue Lendo