Gestão de associação coloca clubes de Santa Catarina na vanguarda do futebol



Luiz Henrique Ribeiro se destacou na Associação de Clubes de Santa Catarina. Crédito: 4oito

A Associação de Clubes de Santa Catarina trocou de comando. Saiu Luiz Henrique Ribeiro, mandatário do Tubarão-SC, responsável por reestruturar o clube e transformá-lo no primeiro com gestão startup do país, e entrou o atual presidente do Avaí, Francisco Battistotti. Em sua gestão, Luiz Henrique modernizou a entidade com a implantação de um modelo de governança corporativa. Entre outras iniciativas, participou da criação de um inédito comitê, responsável pelo desenvolvimento de plano comercial, gerando crescimento de mais de 400% com a comercialização de propriedades do campeonato.

Luiz Henrique Ribeiro assumiu a presidência da Associação de Clubes de Santa Catarina em janeiro de 2017, logo após o acidente aéreo envolvendo a Chapecoense e, nos quase dois anos de mandato, deixou um legado que fortaleceu os clubes do estado. O principal, foi a criação da “FCPlayTV”, modelo trazido à tona recentemente com a venda direta dos pacotes de Estaduais e do Campeonato Brasileiro pela internet.

– Um fato relevante foi a justiça da divisão dos resultados econômicos, pois quando o assinante compra o pacote, ele pode escolher o clube do coração, recebendo 50% do valor. Já os outros 50% são divididos de forma igual entre os dez clubes do campeonato. Com isso, trouxemos mais equilíbrio na divisão das quotas – afirmou Ribeiro.

Também foi incrementado, por exemplo, o investimento na garantia da integridade das partidas, ou seja, a manutenção do “jogo limpo” tão difundido pela FIFA com a mesma empresa que realiza o monitoramento jogo a jogo quanto à interferência de terceiros ligados a apostas esportivas. Também voltaram, em 2018, os testes de controle de doping, financiado pela Associação e CBF. Outro avanço, foi que a final do Catarinense, pela primeira vez na história, teve a utilização do árbitro de vídeo (VAR).



MaisRecentes

Renovação do atacante Talles Magno com o Vasco está bem encaminhada



Continue Lendo

Rodrigo Caetano surge como opção caso Alexandre Mattos deixe o Palmeiras



Continue Lendo

Caso vire empresa, investidores podem quitar dívida do Botafogo em até cinco anos



Continue Lendo