Grupo político repudia perseguição a profissional dentro do Flamengo



Associados do Flamengo pedem a saída de Ricardo Taves do clube. Crédito: Divulgação

Recentemente, em carta encaminhada ao Conselho Diretor do Flamengo, com cópias ao Conselho Deliberativo e à Vice-Presidência de Comunicação, 71 associados, que fazem parte de grupos opositores, solicitaram o imediato desligamento de Ricardo Taves da função de gerente de conteúdo do departamento de comunicação do clube.

O motivo alegado é que Taves seria torcedor do Corinthians. Ao tomar conhecimento, o grupo “SóFLA”, que criou a emenda do profissionalismo a ser protocolada para mudança do estatuto, repudiou o ato, condenando quaisquer atitudes que demonstrem desrespeito ou perseguição a qualquer profissional.

Segundo a “SóFLA”, os profissionais do Flamengo devem ser avaliados constantemente pelo cumprimento de suas metas estabelecidas, alcançadas e/ou superadas, sendo a avaliação baseada em performance e meritocracia. O grupo espera, em breve, protocolar a atualização do estatuto chamado CCF-Conte Comigo Flamengo, que irá solidificar de vez no clube a era da profissionalização.

O grupo aproveitou para reforçar a ideia de meritocracia, reproduzindo um trecho da carta emitida pelos próprios opositores, que chegaram a admitir a capacidade profissional de Ricardo Taves, quando dizem “…ainda que sejam visíveis alguns bons resultados em número de seguidores em nossas redes sociais após a contratação do referido profissional…”, afirma o comunicado.



MaisRecentes

Oposição se enfurece com Bandeira de Mello e pode pedir a sua exclusão do Flamengo



Continue Lendo

Luiz Felipe Scolari pode ter contrato estendido até 2022 e depois virar manager



Continue Lendo

CBF deve se reunir com clubes para falar de manifestações políticas



Continue Lendo