‘Guerra médica’ expõe divergência entre grupos políticos no Vasco



O presidente Alexandre Campello tem sido criticado por seus oponentes devido ao número de jogadores machucados. Crédito: Reprodução/Internet

Desde a última semana, uma “guerra médica” é travada dentro de São Januário. Movimentos de oposição à administração do presidente Alexandre Campello, têm criticado abertamente o número de lesões que os jogadores têm sofrido recentemente. E o alvo maior das críticas é a pouca utilização do CAPRRES (Centro Avançado de Prevenção, Recuperação e Rendimento Esportivo). Campello se defende, e afirma que as lesões não estão relacionadas ao trabalho do departamento médico.

O presidente Alexandre Campello, que é médico ortopedista, e já trabalhou no clube, declarou que não consegue enxergar uma relação das lesões que têm afligido o elenco vascaíno com a mudança de protocolo adotada no departamento médico.

Mesmo sem o gerente científico Alex Evangelista, que acabou demitido e foi trabalhar no futebol da Europa, o presidente cruz-maltino tem utilizado toda a estrutura do CAPRRES, como sempre foi feito anteriormente.

Uma pessoa que conhece bem a parte médica do Vasco, disse à coluna que, realmente, a utilização do centro é a mesma, porém, os procedimentos estão um pouco diferentes dos realizados na gestão anterior. Ele acredita que,para evitar alguns equívocos, será necessário rever os métodos adotados recentemente pela administração de Campello.



MaisRecentes

Dirigente tem a missão de transformar a Inter de Limeira em clube-empresa



Continue Lendo

Torcedor do Fortaleza poderá ajudar a melhorar CT através da conta de energia



Continue Lendo

Abel Braga perde apoio de parte do elenco do Flamengo



Continue Lendo