Técnico brasileiro denuncia ‘máfia’ na Bolívia e questiona arbitragem na Copa do Mundo



O técnico brasileiro Vinícius Eutrópio está no comando do Bolívar. Crédito: Conmebol

O técnico brasileiro Vinícius Eutrópio, com passagens por Atlético-PR e Fluminense, que hoje comanda a equipe do Bolívar, da primeira divisão da Bolívia, fez duras críticas ao campeonato local e à federação de futebol daquele país. Segundo Eutrópio, há uma “máfia” na arbitragem, comandada pelo presidente da Federação Boliviana de Futebol, César Salinas. E o treinador brasileiro levantou suspeita sobre os árbitros bolivianos no esquema. Um deles, Gery Vargas, estará na Copa do Mundo, mês que vem.

O treinador Vinícius Eutrópio ficou inconformado com a atuação dos árbitros na partida entre Bolívar e The Strongest, pela semifinal da competição nacional, no último fim de semana. Segundo Eutrópio, a arbitragem é sempre tendenciosa a favor do The Strongest, cujo presidente, até o mês passado, era César Salinas.

Hoje, o clube está sob comando do seu sobrinho, Henry Salinas. Vinícius Eutrópio fez um alerta, pois um árbitro boliviano, estará na Copa do Mundo da Rússia. Gery Vargas é um dos integrantes da equipe de vídeo (VAR) que trabalhará no Mundial na Rússia.

“A coisa está escancarada mesmo. Não é uma questão de um erro. É uma máfia estabelecida, organizada. Que seriedade tem um árbitro desse que vai a uma Copa do Mundo? A gente começa a questionar a seriedade disso tudo“ revelou Eutrópio, em entrevista à coluna.

O treinador explicou que o presidente do Bolívar, Guido Loayza Mariaca, vai contestar a eleição de Salinas na federação, com queixas formais na Conmebol e na Fifa. Gery Vargas já apitou jogos de quatro clubes brasileiros em 2018: Vasco, Palmeiras e Santos pela Libertadores, e Atlético-PR pela Copa Sul-Americana.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo