Clubes do Rio e organizadas: STJD discutirá se tem ‘poder’ para analisar casos



Membros do Pleno do STJD (Foto: Igor Siqueira)

O presidente do STJD, Ronaldo Piacente, planeja para esta quinta-feira uma reunião com o procurador-geral do Tribunal, Felipe Bevilacqua, e os outros auditores do Pleno. O encontro tem como objetivo verificar se o STJD tem alguma jurisdição para tomar eventual medida diante das denúncias e da investigação policial no Rio que descobriu relação estreita entre funcionários dos grandes clubes e membros de torcidas organizadas, culminando com a cessão de ingressos.

Piacente vai aproveitar a realização da última sessão do Tribunal em 2017 para abordar o tema. “Eu fico muito triste com essas notícias da questão desse envolvimento dos clubes com as organizadas. Os ingressos vão para mão dos cambistas. Fica aquela luta do clube dizendo que não, mas há a informação. Discutiremos se há competência do STJD”, disse à coluna.

O presidente do Tribunal pontuou ainda que as ações contra desordem causadas pelas organizadas dentro dos estádios já vinham sendo tomadas com fechamento dos setores das arquibancadas nas quais as facções ficam localizadas.

Know-How

O setor de gestão de crises do Fluminense, um dos clubes citados, precisará entrar em ação com força. Pelo menos a titular do cargo de relações institucionais, Carina Ceroy, tem experiência política: além de atuar na gestão Pedro Abad, já trabalhou na eleição de Eduardo Cunha à presidência da Câmara.



MaisRecentes

Atlético Mineiro entra no mundo das ‘Bitcoins’



Continue Lendo

Final da Libertadores desperta interesse do espectador brasileiro e audiência explode



Continue Lendo

Pedro Abad pode deixar o comando do Fluminense ainda em 2018



Continue Lendo