Na situação, também há simpatia por união geral e candidato único no Flamengo



Ainda tem muita coisa para acontecer no cenário político do Flamengo até a eleição, mas a ideia de um grande acordo que culmine em uma candidatura única em 2018 não tem defensores apenas na oposição (como já informou a De Prima). Integrantes da situação também veem com bons olhos a união para o próximo pleito em torno de um nome que una os dois lados. Agora, o tempo e as articulações internas vão dizer quem será a figura que terá a menor rejeição entre os grupos políticos.

A leitura de situação e oposição sobre como será a atuação do atual presidente do Fla, Eduardo Bandeira de Mello, no cenário político de 2018 é similar. Ambos os lados entendem que ele não participará de forma incisiva, não só por ter se desgastado por causa do desempenho do futebol em 2017, mas também como um movimento natural de saída de cena de quem já cumpriu dois mandatos à frente do clube.



MaisRecentes

Permanência de Diego Souza ajudou a estabilizar pressão no São Paulo



Continue Lendo

Caso “HD do Vasco” pode terminar com nova eleição. Correntes políticas já se movimentam



Continue Lendo

Rodrigo Caetano está por detalhes para fechar com o Internacional



Continue Lendo