Guimarães responde ao presidente do Botafogo e defende despolitização do clube



Marcelo Guimarães, candidato à presidência do Botafogo (Foto: Divulgação)

Marcelo Guimarães, candidato à presidência do Botafogo (Foto: Divulgação)

Candidato à eleição presidencial do Botafogo, Marcelo Guimarães enviou ao blog um posicionamento para responder às declarações do presidente alvinegro, Carlos Eduardo Pereira, sobre o prognóstico em relação ao pleito que se aproxima. CEP citou uma entrevista anterior do próprio Guimarães à De Prima, quando o candidato disse ser uma alternativa e não oposição à atual gestão do clube. Carlos Eduardo Pereira disse que a vitória da chapa de situação, encabeçada por Nelson Mufarrej, será “consagradora”.

Na visão de Marcelo Guimarães, o grupo que comanda o Botafogo não entendeu a declaração do concorrente ao cargo. O candidato defende “a necessidade da despolitização do clube”.

VEJA A RESPOSTA DE MARCELO GUIMARÃES

Realmente somos uma chapa alternativa e querer que o grupo político que está no poder compreenda isso, é esperar demais deles. O Mais Botafogo, que comanda o clube e concorre a reeleição, trouxe para dentro do nosso amado Botafogo, práticas fundamentalistas, profundamente assemelhadas com a velha e desgastada política tradicional. Separatismo, cargos rateados entre os seus, desqualificação dos avanços conquistados por todos os ex-presidentes que os antecederam, ódio aos que pensam diferente e a sensação de posse sobre um bem comum. Uma pena.

Um dos pontos fundamentais do nosso programa, que será lançado amanhã no South America Hotel Copacabana às 18h30, e é aberto aos Sócios Proprietários e Sócios Torcedores, é a necessidade da despolitização do clube. Todo Botafoguense do bem, preparado e que se alinhar as premissas do nosso programa, terá espaço para ser ouvido e, quando for o caso, para colaborar.

Não me oponho ao que amo. Assim que saí da última eleição entendi isso. Torço e torcerei sempre pelo Botafogo e pelos dirigentes que lá estiverem, o que não significa dizer que não pense diferente deles em muitos pontos fundamentais. Aliás, o debate na eleição não é plebiscitário, mas sim de quem está mais preparado e qual o melhor projeto para suceder o atual ciclo do clube.

No mais é torcer por uma vitória contra a Chapecoense, para assegurarmos uma posição no G6, pois apesar de sonhar que devíamos estar pensando em título, já será bom demais”.



MaisRecentes

Dentista explica que assimetria facial pode deixar atletas sujeitos a lesões



Continue Lendo

Paris Saint-Germain (FRA) fará ação social na favela da Rocinha



Continue Lendo

Árbitros Fifa do Rio de Janeiro alcançam as maiores notas nos testes teóricos



Continue Lendo