Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



O procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, não vê brecha jurídica para futuro questionamento de algum clube por causa da implantação do árbitro de vídeo no decorrer do Brasileirão, sob o argumento de ter sido eventualmente prejudicado pela ausência da tecnologia em um jogo passado. O artigo 77 do Regulamento Geral de Competições, inclusive, dá aval à CBF para implantar o sistema quando bem entender. “Não vejo fundamento para insurgências”, disse o procurador.

O procurador ressalta que não apoia, pela análise dos elementos existentes no momento, reclamação futura dos clubes. “A implementação é reivindicação antiga dos clubes, logo, se entenderem que o momento não é oportuno, devem se manifestar imediatamente e não depois do campeonato”.



  • Django

    O que mais estraga o futebol brasileiro:

    1 – Imprensa clubista (Globo, Fox, Sportv e ESPN)
    2 – Arbitragem ruim
    3 – CBF
    4 – STJD (só presta prá beneficiar os clubes cariocas)
    5 – Safra ruim de jogadores e treinadores
    6 – Torcidas organizadas (violência e falta de educação)
    7 – Choradeira e incompetência dos dirigentes
    8 – Má gestão dos clubes
    9 – Impunidade

  • MOITA ESPIA

    COM ESSA IMPLANTAÇÃO DA ARBITRAGEM “VIRTUAL” .PALMEIRAS , FLAMENGO ,VASCO FLUMINENSE,SANTOS E ATLETICO MINEIRO VÃO CHORAR..ACABOU A MAMATA DE VENCER PELO APITO..

  • SCCP

    Mais esse sistema já existe e o Flamerda já foi beneficiado 2x com ele

    • Gumercindo

      Acho que agora deve valer prá todos.
      Meu receio é que a Globo manipule o tira-teima para prejudicar o Corinthians e favorecer o time dela. Seria bom ter algum técnico idôneo para analisar o tira-teima.

  • deny junier

    Sou a favor do vídeo para tirar dúvidas. Porém existe uma coisa que se chama Estatuto do Torcedor. Ali diz que nenhuma regra de um competição pode ser mudada durante a sua vigência. O torcedor que pagou pelos jogos ou PFC pode se sentir prejudicado em função disso.

    Ora, se entrar o vídeo para tirar dúvidas no meio do campeonato, suscitará reclamações, principalmente de clubes com o rebaixamento já encaminhado. Isso, porque durante a competição teve dois pesos e duas medidas. A entrada dessas entidades na justiça vai ocorrer o que até hoje ainda gera discussão: “Quem é o verdadeiro Campeão Brasileiro de 1987?”

    Para não existir essa idiotice do passado, seria bom a CBF não mudar o panorama das duas competições, pois na final da Copa BR também terá o vídeo. Ou seja, se a Raposa perder nos penaltis, em virtude do jogar terminar empatado, os dirigentes terão todo o direito de reclamar do porquê não acontecer no primeiro jogo. Até porque, o gol do flaw3rdv foi irregular.

    SRN!

MaisRecentes

Vice geral do Flamengo minimiza discussão com colega de diretoria



Continue Lendo

Presidente eleito da Federação Mineira vê clubes de BH no mesmo nível de SP e RJ



Continue Lendo

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo