Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



O procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, não vê brecha jurídica para futuro questionamento de algum clube por causa da implantação do árbitro de vídeo no decorrer do Brasileirão, sob o argumento de ter sido eventualmente prejudicado pela ausência da tecnologia em um jogo passado. O artigo 77 do Regulamento Geral de Competições, inclusive, dá aval à CBF para implantar o sistema quando bem entender. “Não vejo fundamento para insurgências”, disse o procurador.

O procurador ressalta que não apoia, pela análise dos elementos existentes no momento, reclamação futura dos clubes. “A implementação é reivindicação antiga dos clubes, logo, se entenderem que o momento não é oportuno, devem se manifestar imediatamente e não depois do campeonato”.



MaisRecentes

Palmeiras pode receber proposta pelo lateral Victor Luis



Continue Lendo

CBF mantém rodada do Brasileirão, mas Anac vê risco de aviões não decolarem



Continue Lendo

Boca Juniors publica nota oficial sobre episódio da ‘mala branca’ para o Palmeiras



Continue Lendo