Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



O procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, não vê brecha jurídica para futuro questionamento de algum clube por causa da implantação do árbitro de vídeo no decorrer do Brasileirão, sob o argumento de ter sido eventualmente prejudicado pela ausência da tecnologia em um jogo passado. O artigo 77 do Regulamento Geral de Competições, inclusive, dá aval à CBF para implantar o sistema quando bem entender. “Não vejo fundamento para insurgências”, disse o procurador.

O procurador ressalta que não apoia, pela análise dos elementos existentes no momento, reclamação futura dos clubes. “A implementação é reivindicação antiga dos clubes, logo, se entenderem que o momento não é oportuno, devem se manifestar imediatamente e não depois do campeonato”.



  • Django

    O que mais estraga o futebol brasileiro:

    1 – Imprensa clubista (Globo, Fox, Sportv e ESPN)
    2 – Arbitragem ruim
    3 – CBF
    4 – STJD (só presta prá beneficiar os clubes cariocas)
    5 – Safra ruim de jogadores e treinadores
    6 – Torcidas organizadas (violência e falta de educação)
    7 – Choradeira e incompetência dos dirigentes
    8 – Má gestão dos clubes
    9 – Impunidade

  • MOITA ESPIA

    COM ESSA IMPLANTAÇÃO DA ARBITRAGEM “VIRTUAL” .PALMEIRAS , FLAMENGO ,VASCO FLUMINENSE,SANTOS E ATLETICO MINEIRO VÃO CHORAR..ACABOU A MAMATA DE VENCER PELO APITO..

  • SCCP

    Mais esse sistema já existe e o Flamerda já foi beneficiado 2x com ele

    • Gumercindo

      Acho que agora deve valer prá todos.
      Meu receio é que a Globo manipule o tira-teima para prejudicar o Corinthians e favorecer o time dela. Seria bom ter algum técnico idôneo para analisar o tira-teima.

  • deny junier

    Sou a favor do vídeo para tirar dúvidas. Porém existe uma coisa que se chama Estatuto do Torcedor. Ali diz que nenhuma regra de um competição pode ser mudada durante a sua vigência. O torcedor que pagou pelos jogos ou PFC pode se sentir prejudicado em função disso.

    Ora, se entrar o vídeo para tirar dúvidas no meio do campeonato, suscitará reclamações, principalmente de clubes com o rebaixamento já encaminhado. Isso, porque durante a competição teve dois pesos e duas medidas. A entrada dessas entidades na justiça vai ocorrer o que até hoje ainda gera discussão: “Quem é o verdadeiro Campeão Brasileiro de 1987?”

    Para não existir essa idiotice do passado, seria bom a CBF não mudar o panorama das duas competições, pois na final da Copa BR também terá o vídeo. Ou seja, se a Raposa perder nos penaltis, em virtude do jogar terminar empatado, os dirigentes terão todo o direito de reclamar do porquê não acontecer no primeiro jogo. Até porque, o gol do flaw3rdv foi irregular.

    SRN!

MaisRecentes

Conmebol anunciará veredito do Flamengo na segunda semana de janeiro



Continue Lendo

Presidência da Primeira Liga fica com o América-MG; vice é do Paraná



Continue Lendo

Botafogo recupera certificado de clube formador da CBF



Continue Lendo