Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



O procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, não vê brecha jurídica para futuro questionamento de algum clube por causa da implantação do árbitro de vídeo no decorrer do Brasileirão, sob o argumento de ter sido eventualmente prejudicado pela ausência da tecnologia em um jogo passado. O artigo 77 do Regulamento Geral de Competições, inclusive, dá aval à CBF para implantar o sistema quando bem entender. “Não vejo fundamento para insurgências”, disse o procurador.

O procurador ressalta que não apoia, pela análise dos elementos existentes no momento, reclamação futura dos clubes. “A implementação é reivindicação antiga dos clubes, logo, se entenderem que o momento não é oportuno, devem se manifestar imediatamente e não depois do campeonato”.



MaisRecentes

Futebol americano: NFL e Microsoft ampliam parceria de atuação digital



Continue Lendo

Delta torna-se o primeiro parceiro da Olimpíada de Los Angeles-2028



Continue Lendo