CBB cita dificuldade para arrumar patrocinadores, mas não crê em nova punição da FIBA



Guy Peixoto, presidente da CBB (Foto: Agência Câmara)

O presidente da Confederação Brasileira de Basquete, Guy Peixoto, aproveitou o espaço em audiência pública na Comissão de Esporte da Câmara para relatar a dificuldades de gerir a entidade e cumprir compromissos firmados com a Fiba para que o Brasil saísse da suspensão dada pelo órgão: “Tive que assinar compromissos absurdos. Eu tenho que ter um patrocinador em X milhões em dois meses. Quase impossível. Temos várias promessas. Mas ainda não consegui cumprir, tinha até 30 de agosto”.

Apesar disso, o presidente da CBB, que está sendo acompanhada de perto, não crê em novo gancho ao basquete brasileiro: “Hoje, tem um auditor da Fiba na CBB. Vai passar lá mais seis, sete dias. Não sei o que vão acontecer. Não acredito que tenham coragem de voltar a suspender”, completou, ressaltando que a folha salarial da CBB caiu de R$ 250 mil para cerca de R$ 100 mil desde que ele assumiu.



MaisRecentes

Orçamento de 2018 está sob análise dos conselhos do Flamengo



Continue Lendo

Placar das finanças: Corinthians batalha para fechar 2017 perto do ‘0 a 0’



Continue Lendo

Curso de treinador sem chancela de Conmebol e Fifa liga sinal de alerta



Continue Lendo