CBB cita dificuldade para arrumar patrocinadores, mas não crê em nova punição da FIBA



Guy Peixoto, presidente da CBB (Foto: Agência Câmara)

O presidente da Confederação Brasileira de Basquete, Guy Peixoto, aproveitou o espaço em audiência pública na Comissão de Esporte da Câmara para relatar a dificuldades de gerir a entidade e cumprir compromissos firmados com a Fiba para que o Brasil saísse da suspensão dada pelo órgão: “Tive que assinar compromissos absurdos. Eu tenho que ter um patrocinador em X milhões em dois meses. Quase impossível. Temos várias promessas. Mas ainda não consegui cumprir, tinha até 30 de agosto”.

Apesar disso, o presidente da CBB, que está sendo acompanhada de perto, não crê em novo gancho ao basquete brasileiro: “Hoje, tem um auditor da Fiba na CBB. Vai passar lá mais seis, sete dias. Não sei o que vão acontecer. Não acredito que tenham coragem de voltar a suspender”, completou, ressaltando que a folha salarial da CBB caiu de R$ 250 mil para cerca de R$ 100 mil desde que ele assumiu.



MaisRecentes

Evento em Paris vai debater questão do clube-empresa no futebol brasileiro



Continue Lendo

Grupos políticos do Vasco pedem fim de gasto extra em viagens



Continue Lendo

Rubens Lopes, presidente da Ferj, vê problema em fluxo de pagamento de cotas de TV aos clubes



Continue Lendo