Ofício de relator da CPI do Futebol vira argumento pró-Del Nero e outros dirigentes no STF



Romero Jucá também estancou a sangria na CPI do Futebol

Romero Jucá também estancou a sangria na CPI do Futebol

Deputado federal e um dos vices da CBF, Marcus Vicente juntou, na semana passada, documento ao inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar evitar prosseguimento da investigação contra ele e mais oito pessoas (entre elas Marco Polo Del Nero). Como o inquérito foi motivado pelo relatório paralelo de Romário na CPI do Futebol, a petição de Vicente traz ofício do senador Romero Jucá, relator da CPI, dizendo que o texto do Baixinho não foi aprovado pelos parlamentares.
O inquérito, que trata de várias denúncias abordadas na CPI, foi parar no STF justamente por Marcus Vicente (PP-ES) ter foro privilegiado. Ele, inclusive, representa a si mesmo como advogado. Entre os nove alvos do inquérito, só Marco Polo Del Nero também conta com representante legal: o experiente advogado José Mauro Couto, que já foi integrante do STJD. Vicente, que presidiu a CBF por um mês (entre o final de 2015 e o início de 2016), pontuou: “Esse assunto está arquivado”.


  • Julio Cezar Carvalho

    O STF não passa de um arquivo morto quando se trata de julgar envolvidos em escândalos, haja vista que só o Renan Calheiros tem 14 processos aguardando julgamento na casa, então, estes da CBF certamente jamais serão julgados também.

MaisRecentes

Diretor da Chape compara permanência na Série A a título da Champions League



Continue Lendo

Botafogo sai da lista de clubes formadores da CBF. Coritiba retorna



Continue Lendo

Entidades buscam nome para preencher vaga no Tribunal Antidopagem



Continue Lendo