Ofício de relator da CPI do Futebol vira argumento pró-Del Nero e outros dirigentes no STF



Romero Jucá também estancou a sangria na CPI do Futebol

Romero Jucá também estancou a sangria na CPI do Futebol

Deputado federal e um dos vices da CBF, Marcus Vicente juntou, na semana passada, documento ao inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar evitar prosseguimento da investigação contra ele e mais oito pessoas (entre elas Marco Polo Del Nero). Como o inquérito foi motivado pelo relatório paralelo de Romário na CPI do Futebol, a petição de Vicente traz ofício do senador Romero Jucá, relator da CPI, dizendo que o texto do Baixinho não foi aprovado pelos parlamentares.
O inquérito, que trata de várias denúncias abordadas na CPI, foi parar no STF justamente por Marcus Vicente (PP-ES) ter foro privilegiado. Ele, inclusive, representa a si mesmo como advogado. Entre os nove alvos do inquérito, só Marco Polo Del Nero também conta com representante legal: o experiente advogado José Mauro Couto, que já foi integrante do STJD. Vicente, que presidiu a CBF por um mês (entre o final de 2015 e o início de 2016), pontuou: “Esse assunto está arquivado”.


  • Julio Cezar Carvalho

    O STF não passa de um arquivo morto quando se trata de julgar envolvidos em escândalos, haja vista que só o Renan Calheiros tem 14 processos aguardando julgamento na casa, então, estes da CBF certamente jamais serão julgados também.

MaisRecentes

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo

Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Eurico exalta árbitro de vídeo no Brasileiro: ‘Antes tarde do que nunca’



Continue Lendo