Ederson: Processo por doping para, mas Fla ainda tem algo a fazer




Como houve o diagnóstico de tumor no testículo de Ederson, está congelado o processo gerado pelos resultados analíticos adversos obtidos nas análises de doping do meia do Fla. Flagrado duas vezes em competições nacionais, ele não foi suspenso de forma preventiva, já que a suspeita é de que o aumento dos níveis do hormônio HCG sejam pela doença. O caso está na comissão de gestão de resultados da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, comunicada pela comissão de controle de doping da CBF.

Para acabar de vez com o processo, o Flamengo precisará enviar a biópsia pós-cirurgia de retirada do tumor, bem como exames de imagem (tomografia, ultrassom e PET Scan) e um embasamento teórico mostrando que tumor no testículo muda os níveis de HCG no corpo. Os documentos a serem enviados pelo Fla irão posteriormente para a Fifa e a Agência Mundial Antidoping (Wada).

Os próprios integrantes da comissão médica da CBF, entre eles o presidente Jorge Pagura, acharam que havia algo indevido com a saúde do jogador porque os resultados de HCG não são comuns no futebol. O contato com o departamento médico do Fla foi feito, com a sugestão da realização de exames. O clube logo se prestou a averiguar a situação e o diagnóstico se confirmou.



MaisRecentes

Campanha ajuda Fortaleza a trazer de volta atacante Osvaldo



Continue Lendo

Ferj se surpreende com informalidade da prefeitura do Rio de Janeiro



Continue Lendo

Elenco do Palmeiras pede por Deyverson, Felipão dá chance, mas diretoria quer negociá-lo



Continue Lendo