Com Under Armour, Fluminense tem menos uma dor de cabeça



O vice-presidente de marketing do Fluminense, Idel Halfen, não escondeu o alívio pelo início, na prática, da era Under Armour no clube, já que o clube passou por um período tenebroso com a canadense Dryworld (tem até processo judicial). “Certamente é uma dor de cabeça a menos. Pegamos o clube praticamente sem fornecedor de material. Foi difícil, mas deu para tirar essa dor de cabeça”.

Com o pontapé inicial da nova parceria para fornecimento de material esportivo, o planejamento da diretoria é acabar durante a próxima semana com a miscelânea de camisas em todas as categorias do clube. Não era incomum ver não só padrões diferentes de camisas da Dryworld quanto até mesmo peças da Adidas utilizadas pelas equipes de base do Flu.

Vivendo um cenário de ausência de patrocinador master, o vice de marketing crê em um acordo do gênero ainda em 2017, mas ressalta que não há desespero a ponto de aceitar qualquer quantia pelo espaço. “Se ficamos tanto tempo sem o patrocinador é porque não estamos desesperados. Senão, pegávamos o fornecedor ali da esquina. Isso mostra que o Fluminense é um clube sério”.



  • gilson junior

    correção: se ficaram o tempo todo sem patrocinador master é porque o marketing do Flu é ABSOLUTAMENTE INCOMPETENTE, pois não sabe captar nenhuma grande marca.

    • António carlos

      Concordo. Clube sério é o que não leva dois anos pra arrumar um patrocinador.

  • Bruno Meireles

    Finalmente chega o fornecedor de uniformes, com grande atraso e perda nas vendas, mais um prejuízo dessa diretoria, lembrando que o valor será menor que adidas e também da anterior. Tanto tempo sem patrocinador pq quis ou pq nenhum apareceu? Basta lembrar que nos últimos anos estivemos brigando na zona de baixo do campeonato e com uso de jovens jogadores os salários também cairam, sem contar o prejuízo em todos os jogos do maracanã. Precisa de algo mais?

    • Mario Enciclopedia

      Engano seu , sera maior que da adidas, e hipoteticamente menor que a dry, que não pagava, porém a participação nas vendas são infinitamente superiores.

  • Revoltado

    Até a Chape conseguiu contratar e olha que eles perderam o elenco inteiro …

    • Mario Enciclopedia

      Amigo ela não contratou, todos foram a custo zero, de o exemplo do botafogo que em sérias dificuldades, consegue encontrar jogadores para compor o esquema do jairzinho, que e uma retranca do kct,mas tem funcionado.

      • Bruno Meireles

        Essa é a questão Mário…a quanto tempo sabemos que a defesa é ruim? Que o Léo é ruim? Que o renato é horrível? Era investir pouco e certeiro, dois zagueiros, dois laterais, um atacante. Com uns 4 jogadores experientes eu tenho certeza que estaríamos lá em cima. E agora, sai wsilva, richarlison e não ven ninguém. Que patrocinador vai expor seu nome num clube que tem a pior média de público de todo campeonato. Ninguém estava pedindo craques, agora, aguentar Léo é demais pra um torcedor.

  • carlos castilho saraiva

    Revoltado, a CHAPE com a tragédia que aconteceu recebeu ajuda de todos os lados, por sinal uma grande iniciativa geral.
    Nós ficamos sem a UNIMED que era quem comandava o FLU, sorte nossa que temos um excelente trabalho de BASE, senão estaríamos lutando para não cair.
    E a maior contratação não foi Sornoza ou Orejuela, e sim , ABEL que sabe tudo de Fluminense.
    ST, Castilho

    • Bruno Meireles

      Só não podemos beirar o Z4, pois os garotos podem não suportar e não são culpados. A diretoria é amadora.

    • Mario Enciclopedia

      Não esqueça o Richarlison

  • Elias Machado

    Sou um crítico da dose exagerada dessa atual diretoria na contenção de gastos. Tem que ter orçamento e enxugar despesas, mas não precisa ser ortodoxo e querer fazer esse processo em um anos apenas. Com relação aos críticos do patrocinador, aí, sou contra. Lembrem-se que ficamos sem patrocinador logo no inicio da grande crise. Quem já tinha contrato, continuou, mas saibam que é muito difícil patrocinador em crise. Quanto á fornecedora de material,, não comparem os números com a ADIDAS OU A ANTERIOR. Esse empresa é séria. A anterior prometeu rios e fundos, mas eram palavras ao vento. vendeu ilusão. A atual, é realidade. É o que é possível. Nossa meta esse ano, é não cair, e qeum sabe, uma vaga na libertadores. Próximo ano, teremos um melhor orçamento e possivelmente, time mais competitivo. É bom que saibam que estamos pagando pela bandidagem do antigo presidente, que fez contratos longos e com valores surreais, o que leva a suspeita de lesa clube, com dirigentes recebendo parte de salários de jogadores por contratos tão generosos, mais ou menos o que fizeram com a PETROBRÁS., só que nesse caso, foram dirigentes contra o clube.

    • Bruno Meireles

      Excelente comentário Elias, pautado em fatos e muito bem colocados. Apenas discordo na questão de que está dificil patrocinador, é na crise que se criam oportunidades, a questão no caso do flu é a pouco visibilidade este ano por falta de jogadores e projetos de peso…quem quer estampar nome na camisa de clube com pouco exposição televisiva, sem estádio, sem jogadores atrativos, com noticias só de prejuízo em jogos e jogos vazios e mais, uma diretoria com peças que pouco conhecem do meio? Ninguém.

    • Mario Enciclopedia

      É FÁCIL CRITICAR, MAS COM CERTEZA VC MESMO SE O PRESIDENTE ANTERIOR FIZESSE CONTRATO CURTO E O JOGADOR ARREBENTASSE E POR ESSE MOTIVO VIESSE A SAIR, TODOS CAIRIAM DE PAU EM CIMA DIZENDO QUE DEVERIA FAZER CONTRATO LONGO, PREFIRO SER JUSTO NÃO FALANDO APENAS DOS ERROS, ELE ACERTOU NO CT QUE É UM DOS MELHORES DO BRASIL, ACERTOU NO RICHARLISON QUE TODOS METERAM O MALHO,. ACERTOU NOS EQUATORIANOS, VALORIZOU DEMAIS NOSSAS DIVISÕES DE BASE, ANTES JOGADORES SAIM POR QUANTIAS IRRISÓRIAS, O FABINHO DO MÔNACO É UM EXEMPLO, SAIU POR 1 MILHÃO E HJ VALE QUASE 200. FALAR DOS ERROS E FÁCIL, AGORA IGNORAR OS ACERTOS É SACANAGEM. “ST”

      • Elias Machado

        Primeiro, para ser diretor de futebol, tem que ser bom. O futebol é administrado politicamente, igual aos parlamentares: corrupção e ignorância. Achei ótimo que tenha me dado a oportunidade de esclarecer. Quando um dirigente contrata um jogador, teria que analisar exaustivamente a contratação, afim de evitar os erros cometidos. Seu argumento, é que contratos curtos, podem ocasionar perda, no caso do jogador “arrebentar”, como falastes. Concordo parcialmente. É aí que entra uma análise criteriosa. Vou colocar em tela dois casos. 1) WENDEL, JOVEM REVELAÇÃO E COM ENORME POSSIBILIDADE DE ALGUM CLUBE LEVÁ-LO. NESSE CASO, É OBRIGAÇÃO O CLUBE FAZER CONTRATO LONGO, JÁ QUE TRATA-SE DE UMA PROMESSA JÁ TESTADA, E O CLUBE PODE AUFERIR LUCROS. OUTRO PONTO POSITIVO PARA UM CONTRATO LONGO: É JOVEM E O RISCO DE CONTUSÃO CRÔNICA, É PEQUENA. 2) O Goleiro Cavalierri: Primeiro, o salário dele, é muito maior que qualquer goleiro brasileiro, o que levante suspeita. Segundo, que é decadente há vários anos. Terceiro, não existe possibilidade nenhuma de algum clube desejar pagar multa rescisória para JOGADORES MADUROS. Quanto: o contrato desse jogador, foi demasiadamente longo para jogador maduro e faltando um mês para o antigo presidente sair, injustificavelmente, prorrogou o contrato já longo por mais 18 meses., ou seja, elevou o contrato de 8 milhões anuais para um gleiro decadente, e contrato de quase 6 anos. O que justifica tal prorrogação? Pra mim, fica muito claro..

      • Bruno Meireles

        Mário, clube é torcedor, torcida, sócio…futebol é negócio antes da paixão, pois se não fosse jogador ganharia 20 mil e tava rindo a toa. Tudo o que foi feito tá na história junto com ídolos, títulos etc. O Mundo vive do presente e essa diretoria é amadora e incompetente. Ninguém querida medalhões, pois já temos 4 imprestáveis (Gum, chaves, pierre e marquinhos) que não aproveitados deram um “migue” e só voltam em 2018. Era só olhar o mercado, tem jogador bom de graça por ai, sem custo, querendo mostrar serviço…mas vc acha que Alexandre Torres, que nunca foi dirigente, sabe disso? Sabe os caminhos? Seja sincero.

MaisRecentes

Nuzman está inclinado a se explicar na Câmara sobre escândalo



Continue Lendo

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo

Botafogo deixa a Libertadores com R$ 13,4 milhões pela participação



Continue Lendo